Livros LGBTQIA+ que ganharam adaptação - Revista Jovem Geek

GeekNews

Revista Jovem Geek

O lado NERD da força.

sábado, 27 de junho de 2020

Livros LGBTQIA+ que ganharam adaptação



Estamos chegando ao fim do nosso especial de Mês do Orgulho LGBTQIA+, um especial onde buscamos apresentar os mais diversos elementos da cultura pop que abordem esse tema, mas, antes de encerrar de vez, vamos falar um pouco sobre os livros?

Indo um pouco mais além, vamos apresentar alguns livros (incluindo contos e roteiros de peças de teatro) que ganharam adaptações. Talvez alguns sejam mais conhecidos, enquanto outros não.




Azul é a Cor Mais Quente

Lançado em março de 2010, "Azul é a cor mais quente" é um romance gráfico francês de Julie Maroh. A história é sobre Clementine, uma jovem de 15 anos que se apaixona por Emma, uma garota de cabelos azuis. Originalmente publicado pela Glénat, no Brasil a publicação aconteceu pela Editora Martins Fontes, em 2013. Nesse mesmo ano a adaptação cinematográfica foi lançada, com direção de Abdellatif Kechiche. O elenco contava com Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux.



Simon vs. A Agenda Homo Sapiens

Mais conhecido como "Com Amor, Simon", esse livro foi escrito por Becky Albertalli e publicado em 2015. Simon tem 16 anos, é gay e ninguém sabe. Sair do armário é algo que ele prefere deixar para depois, até Martin, um garoto de sua escola, começar a chantageá-lo após descobrir os emails que ele trocava com Blue, um garoto misterioso. A adaptação aconteceu em 2018, estrelando Nick Robinson e direção de Greg Berlanti. A partir desse filme, surge a série "Love, Victor", da Hulu, ambientando-se no mesmo universo.


Brokeback Mountain

O Segredo de Brokeback Mountain é um filme de 2005, que traz Heath Ledger e Jake Gyllenhaal nos papéis principais. Ele foi baseado no conto de Annie Proulx, publicado na revista The New Yorker, em 1997. Em 1999, uma versão mais longa foi lançada em Close Range: Wyoming Stories, um livro de contos da autora. A história é sobre dois jovens que se conhecem em Wyoming, em 1963, envolvendo-se amorosamente. Eles seguem suas vidas separados, com esposas e filhos, mas sempre retornam à montanha onde se conheceram, em viagens rápidas, para se verem novamente.



Café da Manhã em Plutão

Livro de Patrick McCabe lançado em 1998. Situado entre 1960 e 1970, a história apresenta Patrick "Pussy" Branden, que foge de sua mãe adotiva bêbada, com a intenção de encontrar sua mãe biológica. Sua má sorte acaba quando ele encontra um político casado, que começa a atuar como sugar daddy. Quando o político é morto, Patrick se muda para Londres, onde vira garoto de programa. A adaptação aconteceu em 2005, com direção de Neil Jordan e Cillian Murphy e Liam Nesson no elenco.




Flores Raras e Banalíssimas

Escrito por Carmen L. Oliveira e publicado em 1995, o livro traz a história de Elizabeth Bishop, que desembarcou no Rio de Janeiro para uma escala de dois dias. Ela, então, encontrou Lota de Macedos Soares e sua estadia se prolongou por 16 anos. A adaptação foi lançada em 2013, dirigido por Bruno Barreto. O elenco contava com Glória Pires, como Lota, e Miranda Otto, como Elizabeth.



A Garota Dinamarquesa


Publicado em 2000 e escrito por David Ebershoff, o livro apresenta a história de Einar, marido que aceita se vestir de mulher para sua esposa pintar um quadro. Com o tempo, Einar se veste cada vez mais como Lili, e sua esposa se vê estranhamente atraída. Tudo isso na Europa de 1920. Com Eddie Redmayne no papel principal, a adaptação foi dirigida por Tom Hopper e chegou aos cinemas em 2016.



Jambula Tree

Escrito pela escritora ugandense Monica Arac de Nyeko, Jambula Tree apresenta Kena e Ziki, duas garotas de famílias rivais. Apesar disso, elas se tornam grandes amigas, até que a amizade vira amor e as duas precisam enfrentar uma sociedade extremamente conservadora. A adaptação veio com o título Rafiki, em 2019. A direção foi de Wanuri Kahiu e nos papéis principais estavam Sheila Munyiva, como Ziki, e Samantha Mugatsia, como Kena.



In Moonlight Black Boys Look Blue

O filme Moonlight: Sob a Luz do Luar tem seu roteiro adaptado de uma peça de teatro de Tarell Alvin McCraney, que também escreveu o roteiro do filme. A peça foi escrita para um trabalho de uma escola de teatro que Tarell frequentava, mas ela nunca foi encenada. A história se baseia nas experiências de vida de Tarell, como jovem negro, gay e pobre. O filme lançado em 2016 teve direção de Barry Jenkins e elenco composto por Mahershala Ali, Trevante Rhodes e Janelle Monáe.





MÊS DO ORGULHO LGBTQIA+

Nenhum comentário:

Postar um comentário