Diretora de "Hora da Estrela", Suzana Amaral morre em São Paulo


Na tarde dessa última quinta-feira (25), Suzana Amaral faleceu após um período de internação no Hospital Sírio-Libanês, na cidade de São Paulo. A família da cineasta brasileira confirmou que sua morte não teve relação com o COVID-19. Sua saúde já estava debilitada devido a um AVC que sofrera no ano anterior.

Suzana contribuiu para o cinema brasileiro através de curtas-metragens, cerca de 50 documentários e três longas-metragens inspirados em livros: "A Hora da Estrela" (1985), "Uma Vida em Segredo" (2001) e "Hotel Atlântico" (2009). Seu primeiro longa é o mais lembrado, e conquistou vários prêmios no Festival de Brasília. Acabou se destacando nos festivais internacionais como o de Berlim e Havana. Ela foi a primeira diretora brasileira a conseguir levar seu filme para a pré-seleção do Oscar, algo que só aconteceria novamente 30 anos mais tarde com Anna Muylaert.

Cena de "A Hora da Estrela" (1985)
Com uma poética única, Suzana Amaral marcou o audiovisual nacional e é um exemplo a ser seguido. Seus estudos na área de cinema começaram tardiamente. Quando ingressou na Universidade de São Paulo, ela já tinha 9 filhos. Conseguiu se formar e logo depois já realizou seu primeiro curta-metragem. Durante toda sua carreira, a diretora sofreu para conseguir investimento para suas realizações, mas mesmo diante dessas adversidades conquistou seu espaço merecido.

Nós da Revista Jovem Geek lamentamos muito sua morte e agradecemos por toda sua contribuição que só enriqueceu o cinema nacional.

Postar um comentário

0 Comentários