Crítica | Supernatural

Como Supernatural cresceu após deixar de ser um procedural de terror

Dois irmãos, Sam e Dean Winchester, sabem que o mundo como imaginamos não existe: ele é povoado por monstros e demônios dos mais variados tipos. É por isso que existem os caçadores, que lutam contra essas criaturas malígnas para proteger as pessoas. O primeiro episódio, que foi ao ar no dia 13 de setembro de 2005, mostrava um relacionamento conturbado entre os irmãos, onde um deles aceitava o fato de ter crescido em uma família de caçadores e cumpria seu papel, e o outro fugia disso. Com o desaparecimento do pai e a morte da mãe ainda como um mistério, muitas surpresas foram surgindo e o que deveria durar algumas temporadas, acabou se tornando algo a mais.

Quando Supernatural estreou, existia uma premissa de ser uma série como o nome diz, sobre o sobrenatural. Apesar de iniciar com episódios parecidos com curta-metragens de terror, a química dos atores Jared Padalecki como Sam Winchester e Jensen Ackles como Dean Winchester fez com que o foco deixasse de ser os monstros e passasse a ser os próprios irmãos, virando uma série sobre família e amigos em um mundo caótico.

O criador, Eric Kripke, sempre foi um aficionado por lendas urbanas e passou anos desenvolvendo a ideia da série - que originalmente foi pensada como filme. Isso explica o fato de que cada episódio possui uma hora e histórias próprias, quase como se você realmente estivesse assistindo a um filme de terror e mistério. Lendas urbanas como o Homem Gancho, do caroneiro desaparecendo, vampiros e poltergeist são retratados nos primeiros episódios.

Que confusão! Supernatural vive mudando idade DESTE personagem

Os anos foram passando e com isso, a série evoluindo e amadurecendo. Existe uma certa crítica por parte dos fãs que, em algum momento, a série se perdeu um pouco quanto ao errado. Foram incluídos anjos, fadas e vários outros elementos contidos na bíblia, incluindo um Deus. Existem episódios que são simplesmente uma espécie de sátira, como quando os irmãos acabam parando em outra realidade paralela e descobrem que são atores de uma série - e é assim que se quebra a 4ª parede, haha. Alguns são tidos como episódios clássicos, como aquele da encruzilhada, onde a pessoa faz um pedido e ele é realizado, porém em troca vende a alma e um outro onde os dias são sempre iguais, como um loop eterno.

Um elemento essencial da série é o carro de Dean Winchester, o famoso Impala. O carro acabou se tornando tão popular que é quase como um personagem da série, e nos eventos dos fãs é comum encontrar uma réplica do modelo. A música fica por conta dos compositores Christopher Lennertz e Jay Gruska, que criam temas próprios para os episódios, além de utilizarem vários hits de rock clássico como Kansas, AC/DC, Scorpions, Blind Faith, David Bowie, etc.

Aliás, a música Carry On Wayward Son, do Kansas, é outro item indispensável da série. Tocada no início do último episódio de cada temporada, é considerada o hino oficial da série e já foi cantada em quase todo evento relacionado a série, e é esperado que em sua última temporada, Supernatural finalize com um show ao vivo da banda.

976ab738-1a51-4d2a-a0e8-9e1bc71efaf7.gif | Elenco supernatural ...

15 anos de série, 15 temporadas e 320 episódios. O seriado conquistou a audiência e inspirado nesse sucesso, conseguiu muitas outras formas de divulgação: possui nove livros, quatro minisséries de seis edições de histórias em quadrinhos, vários itens como camisetas, jogo de RPG, além de spin-offs como Ghostfacers e Supernatural: The Animation. Existia também uma ideia de fazer uma história com as aventuras de Samuel Colt, um personagem retratado na série, mas por enquanto nada foi confirmado.

Decidi não dar muitos detalhes para não contar spoilers, mas o surgimento de vários personagens como Castiel, Crowley e Lúcifer dão um toque a mais, além do lendário Bob Singer. Com certeza está na minha lista de séries favoritas, e seu fim irá deixar saudades.

Postar um comentário

0 Comentários