Explicando: As linhas temporais em Dark


Há um mês atrás, estreamos aqui no site da Revista Jovem Geek o Explicando, uma série onde buscaremos explicar conteúdos da cultura pop que não são tão fáceis de entender. Na primeira postagem abordamos as conexões mentais em Sense8, que você pode conferir clicando aqui.

No dia que saiu essa primeira matéria, abrimos uma votação nos stories de nosso Instagram, com duas opções de temas para a segunda matéria, e aqui estou eu, cumprindo com o que foi pedido. Mas, antes de perdermos a cabeça tentando entender como funcionam as linhas temporais em Dark, vamos conhecer um pouco sobre a série.

Dark é uma série alemã da Netflix que foi lançada no dia 1 de dezembro de 2017, com 10 episódios. A segunda temporada chegou à plataforma de streaming no dia 21 de junho de 2019 e a terceira, e última temporada, no dia 27 de junho de 2020. Essa é a primeira série original alemã da Netflix e foi criada por Baran bo Odar e Jantje Friese. Na época de seu lançamento foi muito comparada com Stranger Things, mas acabou ganhando seu próprio destaque.

A história se passa em Winden, uma pequena cidade alemã que está sofrendo com o desaparecimento de crianças, algo que já havia acontecido há 33 e 66 anos. O protagonismo fica com Jonas Kahnwald, que precisa lidar com o suicídio de seu pai, ao passo em que descobre os inúmeros acontecimentos envolvendo os sumiços das crianças e uma caverna na floresta.

A partir daqui iremos falar abertamente sobre acontecimentos da trama e sobre as linhas temporais, então haverá spoilers. É válido dizer que não iremos trazer todos os acontecimentos da série aqui, apenas os principais. A leitura seria muito extensa.

Jonas

Bom, por incrível que pareça, não é tão difícil entender as linhas temporais da série, mas é preciso atenção ao assistir os episódios, senão você não consegue mais entender nada.

Para começar, é bom demarcar o ano em que tudo começa: 2019. No primeiro episódio, temos o desaparecimento de Mikkel Nielsen, de 11 anos. Isso acontece no dia 4 de novembro de 2019, quando o garoto vai com os irmãos mais velhos, Martha e Magnus, e Jonas para a floresta. Nesse dia, Mikkel viaja no tempo, para o ano de 1986. Desorientado e desacreditado, ele acaba não falando nada para ninguém e passa a viver nessa época.

Mikkel é adotado pela enfermeira Ines Kahnwald, ele, então, se torna Michael Kahnwald. Nessa época, ele conhece Hannah, uma garota com quem ele acaba se casando e tendo um filho: Jonas, nosso protagonista. Sim, o menino de 11 anos nascido em 2008 se torna pai do garoto nascido em 2003. E, assim, começamos a ter os primeiros casos de um ciclo infinito que rege toda a série.

Essa viagem no tempo se dá através de uma caverna localizada na floresta, em Winden. Ali funciona como um buraco de minhoca, conseguindo conectar épocas diferentes, que possuem sempre um espaço de 33 anos. Essa brecha existe logo embaixo da usina nuclear da cidade e se conecta diretamente com um acidente que acontece lá.

Mikkel/Michael cresceu então a partir dos anos 1986, época em que seus pais, Ulrich e Katharina, eram ainda adolescentes e ainda não haviam tido filhos. Não só os pais dele, mas todos os adultos em 2019 são adolescentes em 1986, os já idosos em 2019, são adultos em 1986.

Bom, em 2019 não é somente Mikkel que desaparece, a cidade de Winden ainda é marcada pelo sumiço de outras duas crianças: Erik, que já começa a série desaparecido, e Yasin, que some alguns dias após Mikkel. Sobre esses dois, eles são, na realidade, sequestrados para serem usados de cobaias em testes, que dão errado e resultam na morte dos mesmos. Para despistar, os sequestradores desovam os corpos no ano de 1953, no local onde iria ser construída a usina nuclear. 

Essa não é a primeira vez que a cidade passa por um desaparecimento de criança, e aí nós vamos para o ano de 1986. Como dito, nessa época, Ulrich era ainda adolescente e possuía um irmão mais novo, Mads. O garoto é sequestrado, pelas mesmas pessoas de Erik e Yasin, para também ser usado como cobaia. Assim como os outros, ele morre e seu corpo vai parar no ano de 2019.

Mikkel/Michael

E quem são essas pessoas que sequestram as crianças?

Um deles é Noah, um homem misterioso que viaja entre as épocas. Ele manipula uma segunda pessoa: Helge Doppler. Helge nasceu no ano de 1944 e, em 2019, ele vive em um asilo, sofrendo de demência. Sobre ele, há alguns pontos que merecem ser destacados: em 1953, ele é atacado por um homem e acaba ficando sumido por meses, nesse período ele conhece Noah e a relação entre os dois se inicia. Em 1986, ele é o responsável por sequestrar Mads e, dias depois, sofre um acidente de carro. E, em 2019, ele sofre de demência e, em certo momento, vai até a delegacia, onde confessa o assassinato de Mads. Mais tarde ele é confrontado por Ulrich.

Aqui nós entramos em outro ponto importante. Quando o corpo de Mads é encontrado em 2019 (vale lembrar que sem identidade e com parte do rosto desfigurado), Ulrich começa a investigar até chegar na resposta de que aquele corpo seria seu irmão, sumido em 1986. Assim, ele descobre sobre as viagens no tempo e, após a confissão de Helge, ele resolve tomar uma iniciativa. Então ele consegue ir para o ano de 1953. Uma vez nessa época, ele vai atrás de Helge é tenta matá-lo, já que fazendo isso, ele iria impedir que seu irmão fosse sequestrado. Ele acaba sendo preso em 1953, para sempre, e o garoto não morre.

Para encerrar essa parte, o velho Helge, em 2019, foge do asilo durante a noite e vai para a caverna de Winden, viajando no tempo para 1986. A ideia dele é impedir que ele mesmo continue a sequestrar as crianças e, assim, ele causa seu próprio acidente. Enquanto o Helge de 1986 fica ferido, o de 2019 morre.

O encontro de Ulrich e Helge criança

Essas são só algumas das diversas viagens no tempo que a série apresenta. Esses são momentos que ajudam a entender um dos principais pontos da história: tudo já possui seu curso e não pode ser alterado. As tentativas de alterações são justamente o que faz com que determinada coisa aconteça. Quando Ulrich tenta matar Helge criança para impedir que ele venha a sequestrar Mads no futuro, ele possibilita que o garoto conheça Noah e, mais tarde, venha a cometer os atos.

É isso o que ocorre com Jonas e seu pai, Michael. O início da história apresenta o suicídio de Michael, em 2019, o que provoca um baque enorme em Jonas. Após saber toda a verdade sobre a história de seu pai, em determinado momento, o garoto decide impedi-lo de se suicidar, mas isso acaba sendo o real motivo do suicídio.

Jonas é um dos pontos-chaves que fazem toda a história girar. E vamos falar um pouco sobre ele.

Meses após a morte de seu pai, na noite já citada do desaparecimento de Mikkel, Jonas e o garoto estavam juntos na floresta, quando acabam se desencontrando. Depois, quando toda a verdade é descoberta, Jonas decide ir até o ano de 1986 para trazer Mikkel de volta, mas ele acaba sendo convencido por um estranho de que aquilo iria apagar a própria existência. Mais tarde, Jonas descobre que aquele estranho é, na verdade, o seu eu do futuro. O garoto pode ser considerado um paradoxo, afinal seu pai nasceu anos depois dele.

O personagem continua a fazer viagens no tempo depois, algumas por escolha própria e outras por escolha de outras pessoas. Ele viaja para 1953, 1986, 1921 e 1888, principalmente. Com isso, percebemos que a história toda tem muito mais ramificações do que se consegue imaginar e acompanhar. 

Em toda essa jornada, acompanhamos não só o Jonas, como também outros personagens, encontrando a si mesmos em outras épocas e os influenciando a fazerem certas coisas que levam eles a se tornarem quem são. Se ficou confuso, pense assim: eu, com 20 anos, volto para o ano de 2015 e me encontro com 15 anos, dando dicas do que aquele garoto deve fazer para se tornar quem sou hoje. Complexo? Um pouco.

O de preto: Jonas do Futuro. De amarelo: Jonas de 2019.

"A diferença entre passado, presente e futuro é apenas uma persistente ilusão" 

Essa é uma frase de uma carta escrita por Albert Einstein, em 1955. Ela abre Dark, no primeiro episódio da temporada um, e conduz os acontecimentos da série. Ela representa o eternismo, uma abordagem da filosofia que diz que todos os pontos no tempo são reais. 

O tempo é comumente dividido entre passado, presente e futuro. O passado é sempre visto como algo imutável, fixo, enquanto o futuro é indefinido, podendo ser alterado. Algumas filosofias, como o presentismo, defendem que somente o presente existe, é real, e que o passado e futuro não existiriam. No eternismo, o passado, presente e futuro funcionam ao mesmo tempo. Seguindo por esse raciocínio, o lugar que você está hoje já existia há cinco anos e existirá daqui cinco anos, assim como os momentos do tempo existem nesse espaço.

Essa filosofia coloca em cheque a questão do livre-arbítrio, afinal o futuro já estaria definido no espaço-tempo. A possibilidade de você definir seu futuro não existiria.

O principal regimento da série se dá nessa filosofia. A prisão de Ulrich em 1953 consta nos arquivos da polícia em 2019, assim como Mikkel está em uma foto de sua turma de 1986, nos arquivos da escola. Conforme os episódios avançam e os personagens buscam alterar o futuro, ou o presente, eles percebem que não possuem esse poder e que tudo vai acontecer como deve acontecer. 

Outra filosofia que rege Dark é a do eterno retorno. A ideia de Nietzsche diz que todos os acontecimentos do universo continuarão a ocorrer infinitamente, de maneira igual. Essa ideia de circularidade do tempo apresentada na série não coloca o passado, presente e futuro de maneira linear, e sim com conexão em um círculo infinito. Nas palavras da série: o fim é o começo e o começo é o fim.

Para encerrar, há ainda o buraco de minhoca. Um buraco de minhoca é um "atalho" no espaço-tempo. Ele funciona como um túnel, com duas bocas, conectando duas regiões distantes, ou épocas. No caso de Dark, o buraco de minhoca localiza-se na caverna de Winden, a diferença aqui é que o túnel possui três bocas, para três épocas distintas: 2019, 1986 e 1953.


Por mais que na série o fim seja o começo, nessa matéria o fim é o fim mesmo. Talvez não seja tão fácil entender todos os conceitos que Dark busca apresentar, mas é interessante buscar entender. 

Espero que o mínimo tenha sido esclarecido e que isso ajude para um melhor entendimento da série. Te vejo em um mês!

Postar um comentário

0 Comentários