Dia do Cinema Brasileiro: As indicações da equipe - Revista Jovem Geek

GeekNews

Revista Jovem Geek

O lado NERD da força.

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Dia do Cinema Brasileiro: As indicações da equipe


Hoje, dia 19 de junho, é comemorado o Dia do Cinema Brasileiro. Essa data existe em homenagem às primeiras imagens em movimento gravadas no país. Foi em 19 de junho de 1898 que Afonso Segreto filmou a entrada do navio Brésil na Baía de Guanabara.

Para comemorar esse dia, alguns colaboradores da Revista Jovem Geek indicaram um filme brasileiro para compor essa lista.




Deus é Brasileiro - Indicado por Natália, da equipe de mídias.

Filme de 2003, que é dirigido por Cacá Diegues e estrelado por Antônio Fagundes. A história apresenta um Deus cansado, que resolve tirar férias e procura alguém no Brasil para substituí-lo. A Natália diz: "Eu gosto pelo elenco e por mostrar muito a cultura brasileira e que as pessoas podem mudar".




Cine Holliúdy - Indicado por Carol, da diretoria

Filme de 2013 e dirigido por Halder Gomes. Cine Holliúdi se passa nos anos 70, em uma cidade do interior onde a televisão acabou de chegar, o que afasta as pessoas do cinema. Assim, o dono do cinema local tenta atrair o público novamente. Carol escolheu esse longa "porque é um filme incrível, que retrata muito a situação até hoje de cidades pequenas do nordeste".



Hoje Eu Quero Voltar Sozinho - Indicado por Clara, da equipe de mídias

De 2014, o filme apresenta a história de Leonardo, um adolescente cego que precisa lidar com a mãe superprotetora e com os sentimentos que surgem quando Gabriel chega em sua escola. A direção é de Daniel Ribeiro. Clara diz que escolheu esse filme "porque é emocionante, atual e trata de um adolescente cego, o que não é comum em filmes".




Como Nossos Pais - Indicado por Enzo, da equipe do site

Filme de 2017 e que possui direção de Laís Bodanzky. Rosa é uma mulher que procura a perfeição em sua vida como mãe, esposa, filha e profissional. Mãe de duas meninas e filha de intelectuais, ela se encontra pressionada pelas duas gerações para que seja moderna, engajada e onipresente. Enzo escolheu "porque é um filme que trabalha de uma forma muito natural questões de pertencimento e identidade da protagonista, além de explorar uma relação disfuncional de mãe e filha, mas que ambas são muito parecidas e tem muito carinho uma pela outra".



O Auto da Compadecida - Indicado por Daniel, da equipe de revisão

Adaptação de um livro de Ariano Suassuna, O Auto da Compadecida foi lançado em 2000 e possui direção de Guel Arraes. A história acompanha as aventuras de João Grilo e Chicó, dois nordestinos que sobrevivem através de golpes. Sempre enganando o povo, só a aparição de Nossa Senhora pode salvar a dupla. Daniel escolhe esse filme "por ser uma excelente adaptação de uma excelente obra que retrata muito bem a realidade do nordeste brasileiro".




Bacurau - Indicado por Sabrina, da equipe de redação

De 2019, Bacurau é dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Moradores de um pequeno povoado no sertão do nordeste descobrem que a comunidade não consta mais em nenhum mapa, ao passo em que drones passeiam no céu, estrangeiros chegam à cidade, cadáveres surgem e carros são vítimas de tiros. Os moradores então, percebem que estão sendo atacados e que precisam se defender. Segundo Sabrina: "além de ser um filme incrível no sentido cinematográfico, ele aborda um tema muito importante, que seria como estrangeiros enxergam nosso país e nós mesmos, nos subestimando e nos tratando como inferiores. Enfim, ele fala sobre preconceitos de uma forma meio futurística e interessante".



Vidas Secas - Indicado por Edmar, da equipe de redação

Filme de 1963 que possui direção de Nelson Pereira dos Santos. Baseado no livro de Graciliano Ramos, a história apresenta uma família pobre que vive na região da seca no nordeste, mostrando a luta diária por trabalho e comida. Edmar escolheu Vidas Secas "porque é uma crítica ao governo da época, e que continua sendo até hoje, apesar do tempo que passou".




Que Horas Ela Volta? - Indicado por Sandrini, da assessoria de imprensa

Estrelado por Regina Casé e dirigido por Anna Muylaert, o filme foi lançado em 2015 e acompanha Val, pernambucana que se mudou para São Paulo buscando dar uma vida melhor para a filha, Jéssica. Anos mais tarde, quando a filha decide ir para a cidade prestar vestibular, os chefes de Val recebem-na, mas o comportamento da garota complica as relações na casa. Sandrini escolheu ele porque "é um filme muito sensível, demonstrando a realidade de quem trabalha em casa de família, o famoso 'trabalha pra mim a 20 anos, é como se fosse da família' só que não, e muitas pessoas se identificam porque passam  por isso".




Bingo - O Rei das Manhãs - Indicado por Dailan, da equipe do site

Lançado em 2017, o filme é dirigido por Daniel Rezende e estrelado por Vladimir Brichta. A cinebiografia de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo na década de 80. O longa mostra Barreto alcançando a fama  e jamais sendo reconhecido por isso. A frustração da situação o leva a se envolver com drogas, chegando até mesmo a utilizar crack e cocaína nos bastidores do programa.



Minha Mãe É Uma Peça - Indicado por Lyrian, da equipe de revisão

Filme de 2013, estrelado por Paulo Gustavo e dirigido por André Pellenz. Dona Hermínia é uma mulher divorciada, de meia idade, que não larga do pé dos filhos. Um dia, quando ela descobre que eles a consideram uma chata, ela resolve sair de casa sem avisar ninguém, deixando todos preocupados, mas na verdade, ela apenas foi visitar uma tia. Lyrian diz: "gosto muito de filmes de comédia e esse em especial conseguiu retratar como é o lar (e a mãe) de muitas pessoas. Me senti super representada como filha e adorei o filme do início ao fim, assisto até hoje quando posso com minha mãe e as risadas estão sempre presentes".



Lisbela e o Prisioneiro - Indicado por Alice, da equipe do site

Estrelado por Selton Mello e Débora Fallabela, foi lançado em 2003 e possui direção de Guel Arraes. Eis o que Alice tem a dizer sobre ele: "É uma comédia romântica muito divertida, também alterna momentos de poesia, aventura e homenagens ao cinema, no que tange a trama estilo 'A Dama e o Vagabundo'. A trilha sonora mistura estilos e intérpretes com um resultado rico e inovador, além de ser ambientada na Zona da Mata pernambucana e em toda e qualquer oportunidade eu  puxo sardinha pra o nordeste , não só por ser daqui , mas porque o nordeste brasileiro é incrível, rico em cultura, sotaques e costumes maravilhosos. E eu acho que é um filme pra toda família, que consegue atingir várias idades e agrada todo tipo de espectador. É um ótimo exemplo do cinema popular".



Malasartes e o Duelo com a Morte - Indicado por Felipe, da equipe de arte

Lançado em 2017, possui direção de Paulo Morelli e elenco estrelado. A história é sobre Pedro Malasartes, um malandro que prega peças em comerciantes e se aproveita da bondade alheia. Porém, sua esperteza será testada pela Morte. Felipe diz: "esse é um filme de um gênero que é pouco explorado no Brasil: a fantasia. Além de ser divertido, ele também tem ótimos efeitos especiais, que levaram um bom tempo para serem realizados. Merece uma chance".




Bom, foram aí 12 indicações. Certamente dá para passar o final de semana conferindo alguns que você ainda não conhece. Lembrem-se sempre de valorizar o cinema nacional, seja indo até ao cinema ou apenas divulgando os filmes brasileiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário