Fatos e Curiosidades: Disney



Olá, leitores da Revista Jovem Geek! E sejam todos bem-vindos a mais um episódio do nosso “Fatos e Curiosidades”, dessa vez com um tema que tinha um tempo que queria escrever para cá e aproveitando a estreia do serviço de streaming que aconteceu no dia 17 de novembro… Vamos falar sobre a Disney!
Alguns fatos vocês já devem conhecer e outros não!

E claro, como no mês passado foi aniversário de criação da Disney, saiu uma pequena matéria especial aqui no site da Revista chamado 1923: O início do estúdio, do camundongo e da magia Disney e algumas informações que estão lá vão aparecer aqui também.

Vamos lá então!
 
Sobre o criador

Não tem como falar da criação, sem antes falar de seu criador.

Walter Elias Disney, ou só Walt, nasceu em 5 de dezembro de 1901 na cidade de Chicago e cresceu numa fazenda em Marceline no Missouri.

Ele sempre foi uma pessoa criativa, que sonhava com melhores dias, magia e brincadeiras. Infelizmente a família não o entendia e ele foi castigado diversas vezes por seu pai. Outra coisa que ele gostava de fazer muito era desenhar, passava horas no bosque, a observar os animais e desenhá-los no seu caderno.
Walt sempre teve a veia artística, não só com os desenhos, mas também no teatro, onde interpretou Peter Pan numa peça, isto ainda no colégio.

Mais tarde, matriculou-se na Kansas City Arts School, para poder seguir a carreira que tanto amava.
Ele perseguiu este sonho e apesar de todas as dificuldades e demais problemas, conseguiu construir o que é atualmente um dos maiores estúdios de animação do mundo e que tem trabalho em produções de diversas outras áreas desde então.

Walt faleceu em 15 de dezembro de 1966, em Los Angeles, com 65 anos, deixando todo um legado e magia para as futuras gerações.

 
Sobre a criação

Em 1922, Walt se juntou com seu irmão Roy e abriram um primeiro estúdio, chamado Laugh-O-Gram Films, que obteve sucesso com curtas-metragens que eram um misto de animação com atuação, inspirados em Alice no Pais das Maravilhas. Onde uma atriz interagia com os personagens animados.
Porém, por alguns problemas administrativos, a falta de pagamento dos animadores que acabaram indo trabalhar na concorrência, a empresa logo faliu.

Mesmo desacreditados, Roy e Walt resolveram apostar de novo e em 16 de outubro de 1923 criaram a Disney Brothers Animation Studios, conhecida hoje por The Walt Disney Company.
O resto daqui para frente é toda a história da Disney e que vamos falar melhor mais lá pra frente.

Oswald, o coelho sortudo e a criação de Mickey

O antigo estúdio também tinha um personagem além da Alice e que estrelava os curtas. Era Oswald, o Coelho Sortudo. Ele foi a primeira criação de Walt e era um grande sucesso, com um grande merchandising em volta dele.
Em 1928, Walt viajou a Nova York para renegociar seu contrato com Charles Mintz, mas ele queria mesmo era cortar o orçamento da produção. E para pior, "roubou" os animadores do estúdio, contratando-os por debaixo dos panos.

A Universal adquiriu os direitos sobre Oswald, o que deixou Walt de mãos atadas. Porém, na viagem de volta, a mente de Walt criou um novo personagem, que é o nosso conhecido Mickey Mouse e que foi seguido depois de toda uma turma, como a Minnie, Pato Donald, Margarida e Pateta, que são grandes sucessos até hoje.

Mickey foi criado para ser uma concorrência contra o Gato Félix, que fazia sucesso em 1928. O primeiro curta em que o camundongo apareceu foi O Vapor Willie de 1928, que até hoje aparece em algumas produções do estúdio durante as vinhetas de abertura.
Foi assim que o rato se tornou a maior criação de Walt Disney e a cara do estúdio.

Já Oswald acabou caindo no esquecimento e a Disney readquiriu os seus direitos apenas em 2006, depois de mais de 80 anos.


Curiosidades sobre o Mickey

Sabemos bem o quanto Mickey Mouse é famoso dentro da cultura pop. Difícil encontrar alguém que não o conheça. Ele é a primeira coisa que surge na cabeça quando se ouve falar sobre a Disney.
Um personagem com tantos anos de trajetória tem muitas coisas que o envolvem e algumas delas bem interessantes, tanto que resolvi separar e contar a vocês.

O designer do famoso camundongo

Walt foi o criador do Mickey apenas na ideia e em sua personalidade. O visual do personagem ficou sob responsabilidade de Ub Iwerks, chefe de animação.

Walt nunca soube desenhar o rato, deixando este trabalho para os animadores, pois ele estava cuidando e focando mais em desenvolvimento e direção.

Infelizmente, Iwerks, o criador do design do personagem, nunca teve seu trabalho reconhecido.


Mortimer Mouse: Consegue imaginar?

Durante a criação do famoso personagem, Walt escolhera o nome de Mortimer para o rato.
Contudo, sua esposa Lilian Bounds, sugeriu uma mudança para o nome que conhecemos hoje: Mickey.
Walter aceitou e deixou sua ideia - só de nome - na gaveta. Acabou que o rival de Mickey, que apareceu pela primeira vez apenas em 1936, recebeu o antigo nome.

Ele é o oposto do Mickey, como afirma o site Walt Disney Family Museum:

“Enquanto Mickey era baixo, desajeitado e sério, Mortimer era alto, desleixado e arrogante. Mortimer tinha bigodes, um focinho muito mais pronunciado e dois dentes da frente proeminentes que estavam juntos; levando muitos a comentar que ele parecia mais um rato do que um camundongo. Seu comportamento fez pouco para desencorajar essa noção”.


Walt Disney era quem fazia a voz de Mickey

Nos primeiros anos do personagem, quem lhe dava a voz era o próprio Walt Disney, que o fez durante anos de 1928 até 1947.

O trabalho de dar a voz ao Mickey foi passado a Jimmy MacDonald em 1947. Mesmo assim, Walt continuou como a voz do personagem para os curtas no Clube do Mickey.

Confiram abaixo um vídeo do Walt dublando o Mickey:



Mickey e a lei do Domínio Público

Uma polêmica que envolve o famoso camundongo é o Domínio Público, especificamente com as leis dos Estados Unidos.
Sendo que foram criadas bem antes, mas o Mickey foi responsável por boa parte das alterações que elas receberam. (Obs: Aqui falamos do design do Mickey do Vapor Willie, porque o visual dele mudou um bocado depois disso.)

Explicando brevemente, quando algo entra em domínio público qualquer pessoa pode usar desta história ou personagem ou obra sem precisar pagar direito autoral ao seu criador ou família.
Na época de sua criação a  lei vigente era a Copyright Act 1909, que concedia 56 anos de proteção autoral, a partir dai a propriedade intelectual era de Domínio Público. Se continuasse assim, o direito do Mickey ia até 1984.

Então, na década de 1970, a Disney já mexeu seus pauzinhos para mudar esta lei e não perder os direitos sob o personagem. Em 1976, o congresso dos EUA aprovou a lei aumento o tempo para 75 anos, protegendo-o até 2003. Nos anos 90, outra extensão da lei aconteceu, passando para 95 anos, entrando em vigor em 27 de Outubro de 1998.

Por enquanto, o Mickey entra em domínio público apenas em 2023. Não sabemos se a Disney vai se movimentar de novo para estender esse prazo.
Mas, uma coisa é fato, esse aumento de tempo na Lei do Direito Autoral não beneficiou apenas a Disney, mas outras empresas, personagens e séries, como: Batman (1939), Super-Homem (1938), Homem-Aranha (1962), Capitão América (1940), Perna-Longa (1940), os X-Men (1963), Tom e Jerry (1940), Os Flintstones (1960), Os Jetsons (1962), Pica-Pau (1940).

Imaginam quantas coisas já não seriam de Domínio Público se a Disney não forçasse a mudança na lei?
Por isso essa lei de proteção ficou conhecida como “Sonny Bono Act” ou “Mickey Mouse Protection Act”.

 
Eras da Disney

A Disney é muito conhecida por seus filmes e eles marcaram a vida de todo mundo que os assistiu. E esses mesmos filmes contam a história do estúdio, que passou por vários altos e baixos.
Algumas pessoas começaram a estudar estes filmes e as épocas em que eles foram produzidos e montaram uma linha do tempo da Disney, dividida em Eras.

E na edição da Revista do mês de dezembro, que é logo ali, no dia 1º de dezembro, vocês vão poder conhecer todas as eras e quais filmes fazem parte de cada uma delas.

Lembrando que nossa revista é gratuita e para assinar é só entrar neste link.

Os parques temáticos

Outra coisa que a Disney tem são os parques temáticos, que existem atualmente em diversos lugares do mundo, entre eles Japão e a França.

O primeiro parque a ser inaugurado foi a Disneylândia da Califórnia, em 17 de Julho de 1955. E por muito pouco o nome do parque não foi Mickey Mouse Village.

Já o segundo parque é o Walt Disney World Resort, que fica em Orlando e tem 110m², sendo inaugurado em 1º de outubro de 1971.

Atualmente, o parque tem 62 mil funcionários e recebe visitantes de todos os lugares do mundo, inclusive do Brasil. Somos o 4º país que mais leva turista para lá, atrás apenas dos Estados Unidos, do Canadá e do Reino Unido.

Já os parques internacionais foram abertos apenas anos depois, sendo a Tokyo Disneyland Resort inaugurada em 1983 e a Euro Disney, na França, nos anos 90.

Os parques oferecem uma experiência mágica a quem os visita, podendo ver os personagens que tanto amam e os lugares que conhecem dos filmes ao vivo e a cores. Há muitas atrações, dentre brinquedos e lojas. E também há diversos hotéis temáticos para quem quiser passar mais tempo. E claro, a famosa parada e o show de fogos de artifício.

Até o próprio Walt tinha onde ficar quando ia aos parques. Ele tinha um quarto secreto na Disneylândia. O apartamento ainda existe e é aberto a visitação apenas para VIPs. Ele fica acima do quartel de bombeiros do parque e está da mesma maneira de quando o Walt ficava lá. Além disso, há uma lâmpada que é possível ser vista do lado de fora. Esta luz é mantida acesa para significar que o Walt está sempre presente no parque.


Os recordes da Disney

Oscar especial de Branca de Neve e outros

Na época em que o filme Branca de Neve e os Sete Anões foi lançado, não existia a categoria de "Melhor Animação", até porque a adaptação de Branca de Neve foi o primeiro filme de longa metragem da história.

O longa chegou a concorrer na categoria de Melhor Trilha Sonora Original em 1938, mas não levou o prêmio.

Porém, em 1939, a Academia deu à Walt e Branca de Neve um Oscar Honorário, pela inovação da produção e o pioneirismo numa nova forma de entretenimento.

Além do Oscar "normal", o prêmio veio acompanhado de sete miniaturas, representando os sete anões.
Walt Disney também recebeu um Oscar Honorário em 1932 pela criação do Mickey.

E a Disney acumula diversos prêmios ao longo de sua história e se formos listar todos, não saímos daqui hoje.

Inclusive, Walt é a pessoa que mais recebeu Oscars, foram 22, contando com 59 indicações.


Grandes Bilheterias

E dentre as maiores bilheteria do cinema, é claro que a Disney está inclusa. Nos últimos anos, boa parte dos filmes do estúdio entram para a lista de maiores bilheterias do ano e alguns até da história. Filmes como O Rei Leão e Frozen foram grande sucesso nos anos em que foram exibidos.

A Disney atualmente tem o filme com maior bilheteria da história, que foi o Avengers: Endgame, que arrecadou cerca de US$2,7bi no total. E mais filmes da empresa estão presentes na lista de maiores bilheterias. Dentre os 10 primeiros, seis são filmes da Disney.

O estúdio também continua quebrando os seus próprios recordes, ainda mais com a era dos live-actions que estamos passando. No ano passado, o faturamento de bilheteria atingiu US$ 7,67 bilhões, ultrapassando o recorde anterior que era de 2016, com a arrecadação de US$7,61 bilhões.

Quais outros e quantos outros recordes a Disney vai continuar quebrando?

Estrelas na Calçada da fama

Personagens da Disney têm também suas estrelas na Calçada da Fama, que fica em Los Angeles.

Mickey recebeu a sua em 1978, vestindo um belo smoking. Sendo também o primeiro personagem de desenho animado a conseguir o feito, após ele vieram vários outros. Já sua namorada, a Minnie, recebeu a sua apenas em 2018, cerca de 40 anos depois.

A estrela dela foi a 2.627ª placa a ser colocada na famosa calçada em Hollywood. Já a única princesa a ter uma estrela na calçada é a pioneira Branca de Neve, que aconteceu em 1987, 50 anos depois da estreia de seu filme.



Disney e seus canais de TV

O Disney Channel começou em 18 de abril de 1983 e desde então se tornou mais uma das vertentes de conteúdo do estúdio.

Ele é um canal de TV a cabo com seu foco em animações, séries e filmes originais. Nos anos 90 exibia as séries animadas de seus filmes, havia a série do Hércules, do Alladin e até do Timão e Pumba.

E o início dos anos 2000 trouxe muitas séries que várias pessoas lembram com carinho, como As Visões da Raven - que foi a primeira série original lá em 2003 -; Lizzie McGuire; Hannah Montana, Zack & Cody: Gêmeos em ação; Os Feiticeiros de Waverly Place e muitas outras.

Muitos filmes também foram produzidos exclusivamente para o Disney Channel: como High School Musical, The Cheetah Girls, Camp Rock, Lemonade Mouth, Teen Beach Movie, Descendentes, e vários outros. Não dá para citar todos, pois a lista ia ficar longa.

E o Disney Channel não é o único. Também existe o Disney XD - que é o mais novo dentre esses - e o Disney Junior - focado em programação infantil.

O auge do Disney Channel foi entre 2007 e 2010, trazendo muitas memórias para quem era adolescente e acompanhou e viveu toda essa época.

 
Disney + e a polêmica da distribuição do conteúdo

O Disney + chegou este ano em diversos países e no Brasil foi no último dia 17 de novembro. E com a chegada do serviço de streaming por aqui, a Disney resolveu encerrar a distribuição de seus conteúdos em DVD e Blu-ray, tudo isso é para centralizar tudo no Disney +.

A razão é pelo contrato com a Cinecolor, responsável pela distribuição das mídias físicas, que acaba em novembro e não foi renovado. A mesma coisa ocorreu nos Estados Unidos, com a estreia do serviços, pararam a produção de mídias físicas.

E a situação ainda se agrava quando essa limitação também deve chegar aos canais de TV a cabo. Ou seja, só será possível assistir ao conteúdo da Disney no serviço de streaming. Não se sabe ainda se os canais de TV da Disney serão fechados também, mas há especulação desse fato.

Qualquer pessoa que quiser consumir um conteúdo da empresa - que atualmente engloba muitas outros estúdios que eles compraram nos últimos anos - vai ter que assinar o serviço. (A não ser que tenha a mídia física comprada ou pirateie.)

Muitos estão vendo isso como uma estratégia para bater de frente com outros serviços, como a Netflix. E vocês, o que acham disso?


Bem, pessoal, é isto!

Sei que ficou longo como sempre, mas em se tratando de Disney, que tem tanto tempo de história e muitas coisas, fica bem difícil condensar tudo em algo curto.

Na verdade, eu acredito que ainda faltou falar sobre bastante coisa. Disney realmente acaba envolvendo muito, além dos filmes, como deu para perceber pela postagem.

Eu espero que tenham gostado de ler e tenham descoberto ainda mais coisas sobre a Disney.

Até a próxima!


Postar um comentário

0 Comentários