20 anos de Super Choque!!

Super Choque é conhecido por muitos fãs de animações e quadrinhos, mas você sabia que ele está completando 20 anos de existência? Pois é, são várias as histórias e adaptações do personagem. Por isso, preparamos uma postagem especial falando um pouquinho dele, confira:

Sobre a Série Animada:


“Super Choque” é uma série animada dos anos 2000, cujo protagonista “Virgil Hawkins”, jovem negro e skatista de Dakota que passa a ter o superpoder de controlar a eletricidade. Isso ocorreu após uma reação com compostos mutagênicos presentes do gás lacrimogêneo de policiais, evento conhecido como "Big Bang", responsável por conferir as habilidades de Hawkins além de afetar os demais envolvidos. Assim se formou os chamados "Bang babies", adversários e a maior fraqueza do nosso herói.

A história se passa no universo da DC e foi criada por Dwayne McDuffie, Denys Cowan, Michael Davis e Derek Dingle. A primeira aparição de Virgil foi no ano de 1993 em “Static #1” nos quadrinhos da “Milestone Comics”, pertencente à renomada “DC Comics" - a qual produzia HQs independentes sobre super-heróis não tão famosos assim.

Em 1997, a Milestone Media encerrou sua produção de histórias em quadrinhos, mas o jovem herói foi salvo pela “Kids’WB”. Anos depois, “Super Choque” fez sua estreia na televisão sendo exibido no canal 3, sob roteirização de McDuffie e com Cowan na produção.

Imagem: IGN


A obra tem 52 capítulos e ficou no ar durante quatro anos. Devido ao sucesso obtido, a produção dos quadrinhos retornou e “Static Shock: Rebirth of the cool” veio à tona. Apesar do evidente tom crítico da animação, ela obteve muito sucesso e aprovação do público, consequência do seu grande tom nostálgico e criatividade nos roteiros. Sua aceitação foi tanta que chegou a deixar grandes sucessos como "Pokémon" para trás. O interrompimento das gravações se deu somente devido a problemas de merchandising.

Mesmo com Virgil pertencendo à Milestone em um universo conhecido como “Dakotaverse”, Super Choque foi incluído ao regular universo da DC com a saga “Crise Final”. A animação também conta com alguns Crossovers, como “Batman: A Série Animada”, “Batman do Futuro” e “Liga da Justiça: A Série Animada”.

Peculiaridades:


Diferente das então conhecidas HQs de “Static Shock”, que abordavam temas polêmicos como política, racismo, desigualdade social, armas de fogo, problemas psicológicos e saúde mental com o intuito de alcançar o público adulto, Super Choque, na animação, precisou se readaptar para atingir de forma sutil as crianças e adolescentes de maneira crítica, mas sem perder a sua essência.

A readaptação foi um sucesso e, de maneira geral, alcançou diversos públicos. Outros trabalhos da DC também abordavam estes temas, mas é imprescindível destacar que “Super Choque” carregava isso em toda a sua estrutura.

Racismo:


Em “Sons of the Fathers”, um dos episódios mais famosos (oitavo Ep. Primeira temp.), “Richie”, melhor amigo de Virgil e futuro “Sidekick” (Gear), convida-o para passar a noite em sua casa, mas, ao chegar lá,  descobre que o pai de seu melhor amigo é racista e retorna para casa. “Richie” discute com o pai e acaba fugindo de casa.

Em Frozen Out (“5º episódio da 2ª temporada”), são trazidos exemplos de negligência paternal, doenças mentais e a realidade dos desabrigados nos Estados Unidos. No season finale da temporada, abordam-se violência armada, bullying e a síndrome do sobrevivente. Já em "Flashback"(14º episódio da 3ª temporada), Virgil viaja no tempo para o dia em que sua mãe foi assassinada.

Outros temas abordados:


Um dos pontos mais relevantes da série passa pelo trauma de Virgil em relação a armas de fogo. Devido ao homicídio da sua mãe, vítima de um tiro, o herói mostra-se veementemente contrário ao armamento. E, seguindo essa mesma linha de pensamento, o personagem também tem fortes ideais opostos à ideia de formação de gangues, brigas de rua e conflitos de periferia.

Nostalgia:


Vale mencionar que “Super Choque” é um símbolo de nostalgia, principalmente para aqueles que, durante o almoço, acompanhavam Virgil em ação.


Postar um comentário

0 Comentários