Corda Bamba - uma busca no passado - Revista Jovem Geek

GeekNews

Revista Jovem Geek

O lado NERD da força.

sexta-feira, 15 de março de 2019

Corda Bamba - uma busca no passado

Corda Bamba é um livro escrito pela autora brasileira Lygia Bojunga que conta a história de Maria e sua viagem de autoconhecimento. Filha de um casal de equilibristas, a menina aprende a andar sobre cordas junto com os pais, porém, após assistir a morte deles durante um espetáculo ela perde a memória e passa a ter Mulher Barbuda e Foguinho (engolidor de fogo) como companheiros até a avó decidir cuidar de sua educação. Nessa relação ela percebe que para poder entender e conviver com a falta de amor e compreensão da avó ela precisa investigar seu eu interior e entender como sua vida surgiu, além de superar os traumas das suas memórias.

O livro e seus capítulos são divididos entre o real, que são os momentos com a avó, professora e amigos do circo; e o imaginário da menina (que é criança), onde se desenvolve todas as histórias de descobertas dela sobre seu passado. Nesses capítulos percebemos a luta interna dela para entender a pessoa que, de repente, virou sua família e durante muitas partes vemos o medo que ela sente ao lado da avó e também da própria professora que lhe dá aulas particulares, como se ambas representassem os grandes adultos que nunca conseguem entender a mente de uma criança por não terem vontade nenhuma de fazer isso. Porém, também há uma certa rebeldia que mostra sua vontade de libertação de todos aqueles que querem que ela faça as coisas do jeito deles.

Falando dos amigos de Maria, como Foguinho e Barbuda, vemos que eles não concordam com a forma da avó ver as coisas, mas, apesar disso, tem muito receio e sentem que o lugar deles no mundo é inferior ao dela pois não conseguem lutar contra esse sistema que os seleciona como “marginais” e “preguiçosos” por não terem uma profissão “normal”.

Os meios de lembrança usados por Maria, representados pela Corda Bamba e as portas coloridas nos levam a uma realidade quase imaginária onde temos que decidir até que ponto conseguimos achar aquilo real ou fantasioso, mas sem tirar a coerência e veracidade da narração que utiliza desses meios para completar a história e instigar o leitor a saber mais.

Em terceira pessoa a autora adiciona personagens segundo a necessidade da história deixando Maria sempre no centro com seus medos e vontade de ser livre da pressão que a avó faz pela construção da neta perfeita. Vemos os problemas e incapacidades de todos, que demonstram como adultos nem sempre fazem coisas certas ou fazem o que querem, porque tem sempre algo que precisa ser respeitado ou desrespeitado para aquilo acontecer. 

Sendo assim, de forma bem explicativa e voltada ao público infanto-juvenil, Lygia mostra como certas classes sociais têm privilégios e podem se sobressair a outras, além de deixar claro o quanto sistemas de ensino e convivência familiar podem ser autoritários se não forem bem conduzidos. Vemos, ao longo das narrativas e viagens na imaginação da garota, que as coisas se constroem através das nossas escolhas e sonhos.

Com um final esperançoso Lygia demonstra que podemos realmente sonhar com coisas melhores e deixa a cargo da nossa imaginação o que pode ter acontecido com Maria e a sua vida fora dos sonhos.

Corda Bamba é um livro de amor e descobertas, você não precisa ser criança para ler, mas também não precisa ser adulto. O único segredo é estar aberto para entender as mensagens da história e compreender que ela representa em tudo a realidade das pessoas no nosso mundo. Não tem literatura mais certeira no quesito de representar a sociedade e mais dinâmica quando se fala na mente e vida infantil. É um livro para quem ama histórias fofas que retratam a vida como ela é.


Nenhum comentário:

Postar um comentário