Dublado ou Legendado: A velha discussão

A questão de assistir dublado ou legendado está relacionada com preferências, gostos e necessidades.


Para aqueles que participam do mundinho de fãs seja de cinema, animações ou séries a discussão sobre assistir dublado ou legendado não é novidade. Qual é o melhor? Essa pergunta sempre causa brigas e geralmente revela um lado desconhecido das pessoas onde elas são defensoras entusiasmadas de sua preferência.


Porque sim, é uma preferência, um gosto, um costume. E muitas vezes pode ser também necessidades diferentes.


As duas opções tem suas vantagens e desvantagens e nenhuma das duas permite que o produto audiovisual seja consumido da forma que ele foi pensado originalmente, apenas aqueles que entendem a língua original vão ter acesso a essa experiência. Muitas vezes as duas também exigem adaptações para entregar um bom trabalho.



VERSÃO DUBLADA


A dublagem permite que uma obra chegue a mais pessoas, já que para muitas é complicado ter que acompanhar o que está acontecendo na cena e a legenda com os diálogos. Há também aqueles que não sabem ler e para eles não existe outra opção para consumir filmes e séries. 


Outro ponto a favor da dublagem é que ela permite que exista uma adaptação nas falas para a cultura na qual aquela obra será distribuída. Existem aqueles que preferem que tudo seja extremamente fiel ao original, porém esse tipo de adaptação pode gerar uma melhor recepção do público.



VERSÃO LEGENDADA


Assistir uma obra com a legenda possibilita que a audiência tenha acesso a voz original e a atuação do ator ou atriz em sua essência mais autêntica, além de certos pontos que podem perder totalmente o sentido quando adaptadas para outra língua, como nomes de personagens ou jogos de palavras pensados pelos roteiristas.


A legenda também é um recurso que ajuda na dublagem porque por meio dela o dublador pode ter acesso a carga emocional da cena e com isso ele pode reproduzi-la na dublagem.

Outra questão em que a legenda é importante é em relação à acessibilidade.



ACESSIBILIDADE EM CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS


Para as pessoas que não podem ver as imagens ou ouvir os sons e diálogos de uma cena, consumir obras audiovisuais se torna um desafio. A falta de acessibilidade para estas pessoas acabam afastando esse público desses conteúdos e impede o seu acesso à cultura. 


É por causa disso que recursos como a audiodescrição, legendas descritivas e a janela de libras são importantes para a inclusão social dessas pessoas. Na audiodescrição ocorre uma narração onde a parte visual das cenas são detalhadas em palavras o que ajuda deficientes visuais a entender melhor o contexto da obra.


A janela de libras, espaço onde um intérprete traduz o conteúdo para a língua de sinais, e a legenda descritiva, que descreve os diálogos e os sons dos conteúdos, são recursos que possibilitam uma melhor compreensão das obras por deficientes auditivos.



A DUBLAGEM BR


A dublagem brasileira é uma das melhores, senão a melhor. Uma prova disso é a quantidade de momentos memoráveis que só foram possíveis por causa da dublagem e a marca que ela deixou na vida de grande parte do público.


Algumas das frases icônicas que temos por causa da dublagem brasileira estão presentes em diversas animações como Tá dando onda (“Taca a mãe pra ver se quica”, frase de Cadu para seu irmão Glen) e Mulan (“Desonra, desonra pra toda sua família. Desonra pra tu, desonra pra tua vaca”, frase do dragão Mushu em uma conversa com Mulan).


Além disso, também temos vozes de dubladores que são tão marcantes que o público associa aos atores que os profissionais dublam, como a de Alexandre Moreno, dublador do ator Adam Sandler, e Mário Jorge Andrade, dublador do ator Eddie Murphy. 


Falando de vozes marcantes não é possível falar do assunto sem citar Wendel Bezerra, dublador do personagem Goku do anime “Dragon Ball”. A voz de Wendel faz parte da infância de muitas pessoas por causa do personagem, inclusive a da pessoa que escreve este texto.


Aqui é possível acompanhar a mesma voz em diferentes produções para um mesmo personagem e ter o jeito brasileiro de falar presente nas histórias, ainda que o cuidado em ter a mensagem original da obra preservada se mantenha.



ENTÃO O QUE É MELHOR?

A resposta é simples, depende da sua preferência e necessidade. Se é melhor ou pior, isso vai depender de pra quem você pergunta. Você não é mais culto ou inteligente por assistir conteúdos legendados e nem o outro está errado em consumir coisas dubladas, principalmente levando em conta a qualidade da dublagem do Brasil. Manter o respeito pelas escolhas, gostos ou necessidades do outro é mais importante do que persistir nessa velha discussão.


Postar um comentário