Coringa "Cristo" é destaque entre fotos dos bastidores do Snyder Cut






A Vanity Fair acabou de divulgar uma entrevista com Zack Snyder, diretor de Liga da Justiça com novas imagens dos bastidores das gravações.

Em trecho afirma:

“Zack Snyder, o diretor da Liga da Justiça, nunca viu a Liga da Justiça . Seu nome está nos créditos como cineasta, mas ele nunca assistiu à versão lançada para o mundo há três anos. Sua esposa, Deborah, que produziu o filme, o aconselhou a não fazer isso.

No final de 2017 - meses após o casal cortar relações com o épico de super-heróis em meio a uma batalha cada vez mais desmoralizante com a Warner Bros. - Deborah Snyder sentou-se em uma sala de projeção no estúdio ao lado de Christopher Nolan, um dos produtores executivos do filme, assim como o diretor da trilogia Dark Knight. Ela se preparou enquanto as luzes se apagavam. “Foi só ... é uma experiência estranha”, diz ela agora. “Não sei quantas pessoas têm essa experiência. Você trabalhou em algo por muito tempo, depois vai embora e verá o que aconteceu”.

O que aconteceu com a Liga da Justiça foi uma crise de dúvida infinita: uma equipe de executivos que perderam a fé no arquiteto de seu império do cinema em quadrinhos vacilante e um diretor em meio a uma tragédia familiar que minou sua vontade de lutar. Joss Whedon, um diretor de outro universo, o Marvel Cinematic, deixou os Vingadores depois de dois filmes e passou para a rival DC, retomando a Liga da Justiça, não de onde Snyder parou, mas refazendo-a significativamente com extensas reescritas e refilmagens apressadas, apenas como o estúdio exigia.

Em 17 de novembro de 2017, a equipe entre Batman, Superman, Mulher Maravilha, Cyborg, Aquaman e The Flash não estreou nos cinemas, mas colidiu com eles. Foi desprezado pelos críticos, menosprezado por espectadores perplexos e quase rejeitado por aqueles que o criaram. Whedon já foi acusado de comportamento não profissional e abusivo no set. (O diretor recusou repetidos pedidos de comentário). Ele deixou seu nome fora do filme, exceto para reivindicar um crédito de redação compartilhado com Chris Terrio, que havia escrito a parcela anterior de Snyder, Batman v Superman: Dawn of Justice de 2016 . [...] Profissionalmente, pelo menos, as coisas melhoraram muito. Por anos, os fãs de DC e entusiastas de Snyder - que adoravam seus fests de alta octanagem como seu remake de Dawn of the Dead, sua antiga saga de batalha grega 300 e sua adaptação distorcida de Watchmen - bateram um tambor nas redes sociais exigentes, exigentes, exigentes que Warner Bros. retorne Liga da Justiça ao cineasta original e permitir que ele compartilhe sua versão do filme. Eles o apelidaram de #SnyderCut. Os ventiladores podiam ser inteligentes, mas muitos eram terrivelmente tóxicos. Todos eles eram implacáveis ​​e se tornaram mais numerosos com o tempo. Em maio passado, eles finalmente realizaram seu desejo quando a Warner viu o potencial de aproveitar toda a publicidade gratuita e fazer algo sem precedentes em seu serviço de streaming iniciante, o HBO Max”.

Entre as imagens divulgadas estão fotos que incluem o visual do próprio Batman, da Mera, do Ciborgue antes do CGI e também do diretor no set de filmagens. Além de uma bem peculiar: o Coringa de Jared Leto aparece com uma coroa de espinhos e braços abertos, em uma clara alusão a Jesus Cristo.

O Coringa aparece no Snyder Cut durante uma sequência de sonhos na visão de Bruce Wayne (Ben Affleck), que mostra o que pode acontecer se os heróis falharem em impedir os planos de Darkseid. O coringa serve como uma motivação através do terror e do planeta destruído.

Não é incomum que diretores percam o controle criativo de filmes de grande orçamento de estúdio, mas é inédito um estúdio retornar a um projeto e oferecer a liberdade criativa que retirou. O #SnyderCut chegará em 18 de março na HBO Max. No Brasil, a previsão é que o longa chegue digitalmente na mesma data, mas a plataforma não foi anunciada.


Postar um comentário

0 Comentários