Nostalgia: "The Legend Of Zelda: Ocarina of Time"





Zelda, é uma saga de jogos que marcou gerações e até hoje é vista como referência quando o assunto trata-se de Nostalgia. E "Nostalgia" é o tema da nossa nova série de matérias especiais aqui do site! Neste primeiro capítulo vamos relembrar sobre esse jogo que marcou nossa infância!




Sobre o jogo:

O jogo foi baseado na infância do seu criador: Shigeru Miyamoto.

Por meio de uma história curiosa contada por ele em entrevista ao site GameSpot, Miyamoto afirmou que a trama possui diversos elementos de sua infância, como as brincadeiras de explorar florestas, cavernas, campos e lagos nas redondezas.

Inicialmente lançado no Japão em 21 de novembro de 1998, "The Legend of Zelda: Ocarina of Time (A Lenda de Zelda: Ocarina do Tempo)" foi o marco de inúmeras gerações de jogadores e consoles, tornando-se referência e estabelecendo novos padrões de jogabilidade, história e gráfico.

O jogo do Nintendo 64 foi considerado o melhor de todos os tempos.

Pela cronologia da saga, "Ocarina of Time" é o primeiro da série, um tanto quanto controverso, não acham?

Por quê “Zelda”? 


Como Super Mario e Donkey Kong, as duas maiores franquias da Nintendo, já levavam, no título, respectivamente, o nome do herói e do vilão de um triângulo amoroso, o próximo game lançado pela empresa deveria manter a mesma ideia.

Assim, o criador de "The Legend of Zelda" resolveu prestigiar a ponta não homenageada da narrativa, isto é, a donzela que precisava ser salva.

Dessa forma, ele escolheu um nome americano que julgava ser adequado para uma princesa, o mesmo da novelista americana e esposa de F.Scott Fitzgerald, um dos maiores escritores do século XX e de quem Myiamoto era fã na época.

História:

Ao explorar as origens do reino de Hyrule e da maldade do vilão Ganondorf, encontramos no coração da floresta Kokiri, o jovem Link que sempre sentiu-se deslocado, pois não havia ganhado uma fada-companheira como os demais Kokiris.

Todavia, mal sabia ele que, mesmo ganhando uma, ela seria sua guia em uma épica jornada através do espaço-tempo para salvar o mundo.

Vale ressaltar que ele não estará sozinho! No caminho, conhecerá personagens mágicos e bondosos que também temem a ameaça de Ganondorf.

A principal é a princesa Zelda (isso mesmo, Zelda é a princesa) que guia o Herói do Tempo, às vezes, escondida e, em outras vezes, disfarçada.


Plataforma 3D:

"Ocarina of Time" lhe transmite constantemente a sensação de que, embora você controle apenas o Link, há toda uma população te apoiando.

A principal novidade na exploração e interação do jogo em plataforma 3D, além das inúmeras possibilidades que a terceira dimensão oferece, é o sistema de mira, o qual possibilita que um inimigo, aliado ou elemento do cenário seja enquadrado e, assim, toda ação ou movimentação do protagonista gire em torno dele mesmo de forma a garantir ação cinematográfica ao título e uma jogabilidade digna de duelo, exigindo timing na hora de atacar e defender cada oponente.

Com esse sistema de mira, uma função para Navi (fada-companheira) foi disponibilizada: ela é uma verdadeira enciclopédia de Hyrule, agregando informações sobre diversos inimigos e seus respectivos pontos fracos, além de dados sobre as várias regiões do reino e lembretes sobre o próximo caminho a seguir.

A jogabilidade ficou muito mais versátil ao permitir empurrar caixas e pedras, subir barrancos, mergulhar, andar a cavalo, abrir portas e guardar itens.

Falando em itens, o inventário do jogo deixou de ser um fardo como na versão original, já que as inúmeras visitas à tela de pause para administrar equipamentos e roupas tornaram-se desnecessárias.

Por um lado, os gráficos foram totalmente redesenhados pela Nintendo em parceria com a Grezzo, criando um mundo detalhado com cores mais vibrantes e cheias de vida, tais quais o N64 jamais seria capaz de reproduzir. Por outro, em nome da nostalgia, alguns pequenos bugs foram mantidos de propósito.

Ocarina:


"Ocarina of Time" é um jogo baseado em música e as diferentes canções que Link aprende com sua ocarina (instrumento de sopro). Ao longo do jogo abrem portas, fazem chover, provocam o nascer-do-sol, chamam a fiel égua Epona, identificam a realeza e, principalmente, teletransportam o jogador para todos os cantos de Hyrule, dentre outras funções.

Cada área/região tem sua própria trilha sonora adequada ao ambiente, mas apenas uma única música ganhou orquestra. As demais foram remasterizadas.

O som, inclusive, é outro grande responsável pela fantástica ambientação do jogo. Passos, sons de animais, tochas crepitando e diversos outros ruídos dão vida a esse fantástico mundo.

Link to the Past:

Um conceito de dois mundos (ou dimensões) dentro de um único jogo é algo que retornou em alguns games da série como "Twilight". Nessa versão, a busca pela famosa Master Sword, um elemento fundamental à história, obriga Link a viajar no tempo (sete anos para o futuro). Mais velho, descobre que o poder de Ganondorf arrasou o reino de Hyrule e, portanto, nosso herói deve usar novos poderes, itens e habilidades para enfrentá-lo.

Após terminar o jogo, uma nova aventura surge: a "Master Quest", uma modalidade hardcore do game original que faz grandes mudanças no layout das dungeons ao mover paredes e salas inteiras de lugar e trocar a posição de itens e elementos. Além disso, os inimigos agora tiram o dobro de dano e, o mais importante, tudo está espelhado, a Floresta Kokiri, por exemplo, agora fica a oeste, e Link é destro. Também há um modo especial para enfrentar somente os chefes, seja de forma independente, seja por tempo. 


Nostalgia:

Sem dúvidas, "The Legend of Zelda: Ocarina of Time", foi o jogo mais marcante da série! Não só por sua inovação na plataforma 3D, como também por sua riqueza de detalhes.

É uma obra que nos deixa com o verdadeiro sentimento nostálgico, instaurando em nós um carinho especial mesmo diante das inovações de outras edições mais recentes da saga.

Não poderíamos falar sobre nostalgia sem criar um conteúdo especial sobre esse título, esperamos que vocês tenham gostado! 


Caro leitor, vote através do nosso insta @revista_jovemgeek ou nos comentários para o próximo tema da série “Nostalgia”, você pode escolher entre “Tv Manchete” e “Castelo Rá-Tim-Bum”!

Postar um comentário

15 Comentários

  1. Parabéns! Novamente um artigo irretocável. Nunca joguei Zelda, mas apenas pela leitura posso ser transportado ao jogo. Quanto à votação, meu voto é a TV Manchete.

    ResponderExcluir
  2. Incrível!!!!!!!!
    Joguei muito esse jogo na minha infância, porem meu favorito é o majora´s mask.
    Materia incrivel me fez voltar a infancia quando jogava no 64 do meu amigo, muito bem escrita.
    Meus parabens!!!!

    ResponderExcluir
  3. Nuss vou ate voltar a jogar, parabéns pelo artigo esta incrivel

    ResponderExcluir
  4. Texto muito bom, Zelda (tal como Chrono Trigger) é uma obra que habita um lugar especial em nossos corações e esse texto reitera isso muito bem, acho que está na hora de revisitar este mundo! kkkkk

    ResponderExcluir
  5. Estou feliz demais por vc, vida. Sua matéria bateu recorde de visualizações em menos de 24h, afinal está muito bem escrita e detalhada, prendendo a atenção do leitor como sempre.

    ResponderExcluir
  6. Ficou muito bom, parabéns amiga,você é incrível ❤️

    ResponderExcluir
  7. Como sempre, você é uma grande pesquisadora e fornece as informações que todos nós amamos ler...parabéns novamente pelo carinho e cuidado com as matérias...bjs.

    ResponderExcluir
  8. Linda materia �������� parabens e sucesso

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito de ler sobre esse jogo, fiquei muito curioso de saber como é jogar ele, com todo esse enredo e magia. Eu nåo conhecia a Zelda, joguei muito Nintendo, realmente foi nostálgico lembrar dessa fase. Parabêns e muito obrigado! Eu voto Castelo Ratibum, um clássico brasileiro alicerçado na educação, cultura e na arte brasileira.

    ResponderExcluir
  10. Ficou muito bonito, maninha. Você escreve muito bem, de verdade, gostei muito.

    ResponderExcluir
  11. Muito bem escrita,muito bem planejada me deu ate vontade de baixar um emulador e jogar novamente kkkkkk.
    So achei estranho não achar a foto dela no instagram nas fotos dos membros da equipe.

    ResponderExcluir
  12. Amei a matéria, deu uma nostalgia até aqui e vontade de jogar novamente, amei principalmente os fatos curiosos no início que tinha coisa que eu não sabia. Parabéns aos envolvidos ^^

    ResponderExcluir
  13. Excelente, me deu até vontade de jogar de novo, ai eu lembro do Water Temple e já passo raiva, ocarina é muito show

    ResponderExcluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)