Aves de Rapina - Crítica

Não sou fã da DC, mas o filme superou todas as minhas expectativas. Sem tantas firulas, muito próximo da realidade, nele vimos uma personagem tão humana.


A produção foi classificada para maiores de 17 anos, o que ao meu ver foi um tiro no pé. Não houve cena tão violenta que precisasse dessa classificação, como mãe posso afirmar que é um ótimo filme para assistir com seus filhos.

A emancipação propriamente dita, refere-se a Harley Quinn, e que está diretamente ligada aos homens, deu as personagens do filme a trama certa. Passando por violência, vingança, machismo, que são temas complicados e geralmente afastados de personagens femininas.

Mesmo assim não fazendo um clima pesado na produção, alternando com momentos de descontração.

Recomendo o filme, pela representatividade de reconhecer que as mulheres também tem o bem e o mal dentro de si, e lutam com ele no seu dia-a-dia.

O fracasso de bilheteria não me impressiona,  pela atual situação mundial  em relação ao Corona Vírus, é certo que isso não foi favorável. Mas não havia como prever.



Sobre o filme:


6 de fevereiro de 2020 / 1h 49min
Ação, Aventura
Direção: Cathy Yan
Elenco: Margot Robbie, Mary Elizabeth Winstead, Jurnee Smollett-Bell
Nacionalidade Americana

Sinopse:

Arlequina (Margot Robbie), Canário Negro (Jurnee Smollett), Caçadora (Mary Elizabeth Winstead), Cassandra Cain e a policial Renée Montoya (Rosie Perez) formam um grupo inusitado de heroínas. Quando um perigoso criminoso começa a causar destruição em Gotham, as cinco mulheres precisam se unir para defender a cidade.

Postar um comentário

0 Comentários