Domingão na BGS - Último dia! - Revista Jovem Geek

GeekNews

Revista Jovem Geek

O lado NERD da força.

sábado, 19 de outubro de 2019

Domingão na BGS - Último dia!

Último dia de BGS e já entramos com um pé de saudades. Apesar da correria, foi muito bom poder fazer parte daquela multidão. Entrevistamos muitas pessoas legais, conversamos com tantas que vieram de outros estados, e este também foi o dia que conhecemos Marcelo Tavares, empresário e jornalista, criador da Brasil Game Show.

Foto: @vitor.d_ferreira
Em coletiva, Marcelo diz que ele mesmo gosta de vídeo games e tecnologia, e por isso decidiu fazer um evento que reúna pessoas que tenham estes gostos em comum. Com grande preocupação em fazer com que tudo ocorra bem, ele está sempre em contato com seus assessores e seguranças do evento, sempre procurando saber se a feira está do agrado de todos e como está sendo a experiência. Para isso, ele não apenas anda com o rádio de uso interno, como também percorre o evento para uma olhada geral.

O evento é voltado para todas as idades, por isso, não é raro ver pais com filhos andando pelo local e curtindo as atividades, como é o caso de Leandro, de 42 anos, que veio com sua esposa trazer os meninos João Antonio e Diogo, ambos de 11 anos. O pai conta que os ingressos já estavam comprados a, pelo menos, dois meses.

Vindos de Ubatuba, litoral norte de São Paulo, essa é a primeira vez que a família vem à feira. Leandro conta que sua motivação foram os pequenos: "Foram eles que agitaram, eles que viram na internet." Ao lado do irmão, João Antonio concordou: "A gente sempre via em vídeo, na internet, as fotos, mas nunca tinha vindo."

Leandro, João Antonio e Diogo com sua família.
Youtube: mtn_carioca e gamer_craft_erm.
Foto: @vitor.d_ferreira
E para a família, a decisão é unanime: por melhor que tenha sido a experiência, faltou mais computadores e vídeo games. As filas enormes e demoradas são desanimadoras para quem vem com um grupo grande, e ainda mais para quem está vindo pela primeira vez.

Diogo e João Antonio são pequenos Youtubers. Eles possuem um canal na plataforma do YouTube onde gravam jogos como Minecraft e Fortnite: "A gente quer jogar profissionalmente", conta Diogo. O pai sorri e enfatiza: "Mas eles tem uma limitação diária para ficar no computador."

E antes de seguirem curtindo a feira, afinal, programação é o que não falta, eles reiteram que a BGS está agradando a todos. "É bem legal aqui, inesquecível mesmo, principalmente pra eles." Leandro fala, apontando para os meninos. "Mas eu também tirei muitas fotos, em questão dos cosplays eu acho que tava mais animado que eles. Dos filmes também, vi muita coisa legal. Sem dúvida, agradou todo mundo."

Também demos uma volta pelo evento e, no meio do stand da Nintendo, pudemos conferir o esperado Luigi's Mansion 3, que está programado para ser lançado ainda esse Outubro, mas os visitantes da BGS já puderam conferi-lo em primeira mão.

BGS 2019. Foto: @vitor.d_ferreira
Continuando a saga de seus antecessores, você controla o Luigi que foi tirar umas férias bem merecidas num hotel de luxo, mas não podia contar com sua má sorte: tudo não passou de um plano do Rei Bu para capturar Mário e seus amigos.

Mais uma vez, o medroso herói precisa lidar com assombrações e lugares sinistros para salvar seu irmão e amigos! A mecânica não mudou muito desde o último Luigi's Mansion, mas é notável que este traz um pouco mais de dificuldade, deixando, assim, o jogo mais desafiador e levando mais algumas horas para explorá-lo por completo.

Os inimigos mais caricatos e o fato do Luigi sempre terminar fazendo caretas, tendem a parecer que o jogo é infantil e "bobinho, um jogo para criança", mas Luigi's Mansion agrada também aos mais velhos.

Por mais que o game seja escuro e com fantasmas, você mais se diverte do que sente medo - a Nintendo não faz jogos pesados com uma temática adulta, seu foco é atingir todas as idades. Até mesmo a trilha sonora surpreende o jogador, misturando dois opostos como comédia e suspense para te fazer se sentir parte do game. Certamente, agrada as famílias. Como uma fã da Nintendo, gostei muito e jogaria de novo.

Outro grande destaque da BGS 2019 foi o exclusivo da Xbox, Gears 5. A história busca avançar o enredo do último Gears 4, com novos personagens e aventuras, trazendo uma trama envolvente que faz ligação com o passado da saga - Gears of War.

Esse jogo fez tanto sucesso em seu lançamento, em Setembro desse ano, que a fila estava um pouco mais demorada - afinal, todos queriam experimentar. A Xbox ainda realizou o segundo torneio de Gear 5 durante a feira, onde os dois primeiros colocados receberam a oportunidade de de disputar o game em São Francisco, nos EUA.

BGS 2019. Foto: @vitor.d_ferreira
Só de olhar você já se depara com gráficos incríveis que não decaem no decorrer do jogo. A ambientação é de tirar o fôlego, os detalhes do cenário e dos personagens estão bem realistas, dá pra ver que a empresa realmente caprichou nos gráficos. Tudo é bem imersivo, desde a tela até a trilha sonora, tudo foi cuidadosamente pensado para que você se sinta no papel principal.

Gears começou como uma simples campanha contra alienígenas, mas hoje tem seu próprio universo expandido. Este quinto capítulo mostra como é vasto seu mundo, como a história pode tomar novos e

diferentes rumos e como podem acontecer reviravoltas. Certamente quem nunca jogou os antigos pode se divertir muito aqui, como foi o meu caso, mas vale a pena dar uma conferida neles se você quer entender esse novo jogo e se aprofundar pra valer na trama!

Andando pela feira e deixando os jogos um pouco de lado, outro ponto que também se percebe é da importância que o evento deu para a acessibilidade. Primeiramente que escolheram um ótimo local para realizar a feira: a Expo Center Norte além de ter pavilhões grandes, tem naturalmente uma boa acessibilidade para pessoas com dificuldade de locomoção. Você encontra não apenas escadas rolante, mas também elevadores, rampas e banheiros adaptados para cadeirantes.

Heidi Berl, 46 anos. Foto: @vitor.d_ferreira
E isso abriu as portas para que diversas pessoas com alguma dificuldade de locomoção pudessem vir e fazer parte desse evento memorável, como é o caso de Heidi, de 46 anos, que também veio prestigiar o evento em 2018. Enquanto esperava o marido jogar Plantas e Zumbis, Heide conta que esse ano a feira está muito melhor, tem muito mais stands para se visitar e que os staffs estão muito solícitos e simpáticos: "O pessoal deixa a gente entrar na frente, perguntam se quero jogar, se posso esperar acabar a rodada para ir depois." E, após uma simpática risada, ela continua: "E entra eu e meu marido né, porque ele me acompanha, ele me ajuda, então entra nós dois."

Heidi tem polineuropatia diabética, para uso comum ela anda com a sua inseparável bengala, mas quando vai a algum lugar maior onde precisa se locomover mais, é necessário fazer uso da cadeira da rodas. Quando questionada se o evento precisava de alguma melhoria para a acessibilidade, ela responde sem exitar: "A única coisa que continua errado, é que nós que somos deficientes, temos que descer lá atrás [do prédio], ir até a entrada do Portão C para depois ir até o Portão A para pegar uma cadeira de rodas. E do Portão C para o A você tem que quase dar a volta no quarteirão. Não tem muita burocracia, mas até conseguir eu fico pulando de galho em galho com a bengala."

Também conversamos com Vilma, de 52 anos, que trabalha para a BGS desde sua segunda edição. Este ano, Vilma foi uma das encarregadas de cuidar e controlar o acesso para a sala de imprensa e VIP da feira, no andar superior.

"Desde que eu comecei, a feira vem melhorando a cada ano. Hoje mesmo não achei nenhuma dificuldade para os cadeirantes, não vi nenhuma dificuldade para ir aos estandes, para andar na feira, não consegui achar nenhum lugar que eu não conseguisse ir. Mas a estrutura do lugar já tem esse acesso, já é bem legal, e o pessoal dos estandes tá bem preocupado com isso, tá bem legal."

Vilma Veiranda, 52 anos. Foto: @vitor.d_ferreira
Perguntamos se ela conseguiu dar uma volta pela feira e curtir um pouco, e, sempre sorrindo e muito solícita, ela diz que esse ano ainda não teve essa oportunidade, mas que já está acostumada e não se lamenta: "Aqui o trabalho é corrido, tem movimento grande. Nos primeiros anos a gente saía um pouco e dava uma olhada, era tudo novidade, eu tava vislumbrada, mas esse ano tá bem corrido. Mas eu já estou acostumada com tudo isso."

Sobre a locomoção de pessoas com alguma dificuldade pela feira, Vilma não pensa duas vezes em dizer: "Por ser esse prédio, ele já tem uma ótima acessibilidade. Tem gente que vem e precisa pegar a cadeira, mas eu acho que isso é de responsabilidade de cada um, porque se precisa usar, tem que ter uma em casa. Mas fora isso, eu indico a BGS. Eu trabalho com eventos já tem um tempo e a BGS é a melhor, é a que mais inclui deficientes pra trabalhar. Aqui tem no mínimo uns trinta deficientes trabalhando hoje e isso é algo que você não encontra por aí."

A BGS é o maior feira de vídeo games da America Latina, pessoas de todo o Brasil vêm para prestigiar os cinco dias de evento. O movimento da conferência é de milhares de fãs se reunindo com um único propósito: ser quem eles são de verdade.

#bgs #bgs2019 #sp #evento #brasil #brasilgameshow #SãoPaulo #AméricaLatina #games #vídeogame

Nenhum comentário:

Postar um comentário