Oscar 2021: Previsões


Mais um ano se inicia e com ele mais uma Award Season ganha espaço. Porém, em decorrência da pandemia do COVID-19, foram diversos os impactos na distribuição e na finalização de vários filmes durante 2020, além da dificuldade em se realizar os tradicionais festivais ao longo do ano. Por essa razão, a corrida pelo Oscar será diferente de todas que temos em registro até agora. 

Não só de talento se sustenta a maior premiação de cinema do mundo. Em outras palavras, a busca pela validação da Academia é acompanhada por uma campanha arquitetada pelos estúdios produtores dos filmes submetidos. Em uma situação típica, até o final de dezembro todos os longas e curta-metragens, animações e documentários já deveriam ter sido lançados pelo menos em território americano, pois a cerimônia do Oscar normalmente acontece em fevereiro. Sendo assim, existe um mês bem focado em publicidade e em ganhar destaque em premiações satélites como o Globo de Ouro e o Critic's Choice Awards. Entretanto, esse ano, os filmes elegíveis para o Oscar 2021 podem ser lançados ainda no ano de 2021 e a cerimônia foi adiada para 25 de abril, gerando um período de 4 meses para a campanha

O tempo é algo crucial para qualquer ação publicitária, afinal é difícil manter apelo público por um filme, uma performance, entre outros aspectos. Nesse período, muitas coisas podem mudar, o que é totalmente natural e, consequentemente, vai exigir muito mais daqueles que estão administrando a corrida para a estatueta de ouro. As previsões que serão apresentadas nessa matéria são resultados de diversas análises feitas por grandes portais como Variety, GoldDerby, Awards ACE, entre outros e se baseiam em avaliações de críticos, do público e do buzz gerado até o momento, sendo totalmente sujeitas a mudança ao longo desses meses que estão por vir. 


MELHOR FILME


1. Nomadland (Searlight Pictures)

Com a produção assinada por Mollye Asher, Dan Janvey, Frances McDormand, Peter Spears e Chloé Zhao, baseado no livro de Jéssica Bruder, o filme traz a história de uma mulher que depois de perder tudo com os eventos da Grande Recessão passa a viver como nômade moderna pelo Oeste Americano. O filme tem sido um grande destaque entre os críticos, principalmente pela atuação de Frances McDormand e a direção de Chloé Zhao. Além disso, garantiu o Leão de Ouro no Festival de Veneza, prêmio esse conquistado por Joker no ano ano passado.

2. Minari (A24)

Produzido por Dede Gardner, Jeremy Kleiner e Christina Oh, o filme conta sobre uma família coreana que se muda para o Arkansas para construir uma fazenda. Em uma contrapartida ao sentimento do "sonho americano" muito expressado durante a Guerra Fria, o longa traz reflexões profundas sobre uma visão mais realista e se destaca também como aposta para Melhor Roteiro Original dentro dessa temporada. 


3. Mank (Netflix)

Produzido por David Fincher, Ceán Chaffin, Eric Roth e Douglas Urbanski, o filme nos traz uma visão da vida do roteirista Herman J. Mankiewicz que durante a criação de Cidadão Kane relembra a realidade dos estúdios hollywoodianos durante a década de 30. A fotografia bem executada em preto e branco lhe garantem uma vantagem para essa categoria. Além disso, o circuito americano da crítica, em sua maior parte, deram boas reviews sobre o longa. Um forte candidato principalmente por trazer uma homenagem a própria indústria cinematográfica, artifício esse que é muito bem recebido pela Academia.

 

4. Ma Rainey's Black Bottom (Netflix)

Produzido por Todd Black, Denzel Washington e Dany Wolf, o filme representa mais uma potência da Netflix. Sua história é baseada na peça de August Wilson que possui dois núcleos como focos da narrativa: Ma Rainey, conhecida como Mãe do Blues que não admite ser questionada e Levee, um músico temperamental e sonhador. As atuações, figurino, caracterização e direção de arte são grandes fatores do filme que talvez sejam os destaques que ele possa ter durante a cerimônia. 


5. The Father (Sony Pictures Classics)

Produzido por Philippe Carcassonne, Simon Friend, Jean-Louis Livi, David Parfitt e Christophe Spadone, o filme narra a história de um homem que passa a recusar a ajuda de sua filha a medida em que envelhece, e que começa a questionar sua própria existência quanto mais se aproxima da morte. É um drama intimista que com Anthony Hopkins como protagonista, um ator já consagrado em Hollywood - o que faz suas chances serem grandes para essa indicação. 


6. One Night in Miami (Amazon Studios)

Produzido por Jess Wu Calder, Keith Calder e Jody Klein, o filme aborda um noite fictícia em 1964 em que Malcom X, Muhammad Ali, Jm Brown e Sam Cooke se reúnem e discutem sobre seus suas ações nos movimentos culturais e sobre direitos civis durante a década de 60. Com um elenco forte e o recente destaque na direção de Regina King, o longa pode ser um destaque para a premiação.


7. Judas and the Black Messiah (Warner Bros)

Produzido por Charles D. King, Ryan Coogler e Shala King, o filme aborda a história de Fred Hampton, líder dos Panteras Negras em Illinois que foi traído por William O´Neal, um informante do FBI. Com um forte apelo social para os eventos ocorridos em 2020, o longa se torna um destaque para a temporada e também conta com as atuações como ponto positivo. 


8. Promising Young Woman (Focus Features)

Produzido por Ben Browning, Emerald Fennell, Margot Robbie, Tom Ackerley, Josey MacNamara e Ashley Fox, o filme conta a história de uma jovem mulher que traumatizada pelo seu passada se vinga de homens sórdidos que cruzam seu caminho. A jovialidade tanto da protagonista (Carey Mulligan) como da diretora (Emerald Fennell) marcam o filme e conquistaram a crítica, sendo uma aposta válida para essa temporada. 


9. The Trial of the Chicago 7 (Netflix)

Produzido por Stuart M. Besser, Matt Jackson, Marc Platt e Tyler Thompson, o longa da Netflix traz, em 1968, o julgamento de 7 pessoas após um protesto em Chicago em que houve confronto direto com a polícia. O filme traz ideias de liberdade e movimentação política por parte da camada civil, principalmente a respeito dos impactos causados pela Guerra do Vietnã, o que dialoga com os eventos acontecimento durante o último ano do governo Trump, além de contar também com Aaron Sorkin, um consagrado roteirista de Hollywood.

 

10. News of the World (Universal Pictures) 

Produzido por Gary Goetzman, Gregory Goodman e Gail Mutrux, o filme representa a grande aposta da Universal e conta a história de um veterano da Guerra Civil Americana que aceita entrega uma garota para família dela, mesmo que contra a vontade da mesma. O longa se estende por essa jornada e traz concepções do que pode ser entendido como lar, além de contar com Tom Hanks no papel principal.


Outros que podem ser considerados: Da 5 Bloods (Netflix), Sound of Metal (Amazon Studios), The Prom (Netflix), The Mauritanian (STX Films), On The Rocks (A24/Apple Plus), Soul (Pixar), Midnight Sky (Netflix), First Cow (A24), Ammonite (Neon) e Palms Spring (Hulu/Neon).


MELHOR DIRETOR


1. Chloé Zhao (Nomadland)

A diretora chinesa ainda se mantém como destaque em meio as críticas e se torna a principal candidata da categoria. Isso é um marco, pois caso sua vitória se concretizasse, ela seria a primeira mulher asiática e a segunda mulher em toda história da competição a levar a estatueta para a casa. 

2. Regina King (One Night in Miami)

Vencedora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 2019 pelo longa "Se a Rua Beale Falasse", Regina vem ganhando destaque pelo seu debut como diretora o que lhe torna uma forte competidora. Só sua indicação já marcaria história, afinal seria primeira vez que mulher negra concorrer pela Melhor Direção. 

3. David Fincher (Mank)

Com duas indicação em Melhor Direção por "O Curioso Caso de Benjamin Botton" (2008) e "A Rede Social" (2010), Fincher se coloca como um destaque novamente principalmente por se tratar de sua obra mais intimista e que, segundo o diretor, seria o filme de sua vida. 

4. Aaron Sorkin (The Trial of the Chicago Seven)

Como roteirista, Aaron já garantiu 3 nomeações ao prêmio e 1 vitória por "A Rede Social" (2010). Agora assumindo tanto a direção quanto o roteiro de uma história que conversa tanto com o nosso presente faz com que ele seja um candidato possível.

5. Florian Zeller (The Father)

Mais um debut na direção, o escritor francês ganha destaque nessa temporada mesmo que nunca tenha sido nomeado. Com a entrega de um drama tão íntimo e complexo, Florian tem em sua manga o apelo pelo o que a Academia mais gosta.

Outros possíveis candidatos: Lee Isac Chung (Minari), George C. Wolf (Ma Rainey's Black Bottom), Shaka King (Judas and the Black Messiah), Spike Lee (Da 5 Bloods) e Emerald Fennell (Promising Young Woman)


MELHOR ATOR 


1. Chadwick Boseman (Ma Rainey's Black Bottom)

A precoce morte do grande Pantera Negra abalou a todos e tornou esse longa sua última chance de ser reconhecido pela Academia. Com uma grande entrega de um personagem sonhador, mas ao mesmo tempo explosivo, esta se demonstra como a melhor performance de sua carreira, Chadwick é o principal candidato a conquistar o prêmio póstumo. 

2. Riz Ahmed (Sound of Metal)

Nunca ates nomeado, o ator e rapper anglo-paquistanês entregou um imenso potencial em um dos longas de aposta da Amazon. Interpretando um baterista de Metal que começa a perder a audição, Riz consegue encontrar equílibrio e desenvolve de forma muito precisa toda aquela situação visceral. 

3. Anthony Hopkins (The Father)

Eternizado como o personagem  Hannibal Lector que garantiu sua vitória por "O Silêncio dos Inocentes" (1991), Hopkins garante em seu histórico mais 4 indicações. O renomado ator de hollywood veio para surpreender com sua interpretação do envelhecimento e os questionamentos provocados pelo mesmo.

4. Steve Yeun (Minari)

Nunca nomeado, mas conhecido por sua participação em The Walking Dead como Glenn Rhee, Steve caminha para ser a representação asiática dentro dessa categoria. Interpretando um pai coreano que inicia sua fazendo nos Estados Unidos em 1980, Steve conquistou boas críticas e foi um dos destaques dos festivais de Sundance e de Middleburg.

5. Gary Oldman (Mank)

Não é a primeira vez que uma figura histórica garante a corrida do Oscar para Gary, afinal o britânico levou a estatueta para casa com seu papel como Winston Churchill em "A Hora Mais Escura" (2017). Com uma dupla interpretação de um mesmo personagem, Oldman destaca o filme no quesito atuação e se coloca como uma grande aposta para a temporada.

Outros possíveis candidatos: Delroy Lindo (Da 5 Bloods), Lakeith Stanfield (Jesus and the Black Messiah), Tom Hanks (News of the World), Colin Firth (Supernova) e Kingsley Ben-Adir (One Night in Miami).


MELHOR ATRIZ


1. Viola Davis (Ma Rainey's Black Bottom)

Acumulando 3 indicações e 1 vitória como Melhor Atriz Coadjuvante por "Fences" (2016), Viola Davis é uma força da natureza quando se trata de atuação. Com uma performance incrível e acalmada pela crítica como a lenda Ma Rainey, Davis se coloca como uma das principais apostas e, caso ganhe, se tornará a segunda mulher negra a ganhar a estatueta nessa categoria.

2. Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)

Nunca nomeada, a britânica conseguiu grande destaque da crítica, principalmente durante o Festival de Veneza em que foi premiada pela sua performance. No longa, Kirby vive uma mulher que precisa lidar com a morte precoce de seu filho após o nascimento dele

3. Frances McDormand (Nomadland)

Com duas vitórias nessa categoria por "Fargo"(1996) e "Três Anúncios para um Crime" (2017), Frances mais uma vez se torna uma forte candidata para conquistar a estatueta pela terceira vez. Aclamada pela crítica, sua performance entrega a vivência visceral e realista de uma mulher que perdeu tudo devido a Grande Recessão.

4. Carey Mulligan (Promising Young Woman)

Indicada uma vez pelo seu papel em "Educação" (2009), Carey volta mais uma vez para a disputa. Elogiada pela crítica, muitos portais americanos a consideram como a "queridinha" da temporada, sendo assim, uma grande aposta desse ano.

5. Kate Winslet (Ammonite)

A consagrada atriz já possui 7 indicações em seu histórico com uma vitória por "O Leitor"(2008) e novamente está investindo bastante para sua campanha de 2021. Em Ammonite, Winslet vive Mary Anning, uma paleontóloga que em uma Inglaterra de 1840 acaba se apaixonando por Charlotte. 

Outras possíveis candidatas: Meryl Streep (The Prom), Andra Day (The United States vs. Billie Holiday), Michelle Pfeiffer (French Exit), Yeri Han (Minari) e Sidney Flanigan (Never Rarely Sometimes Always).


MELHOR ATOR COADJUVANTE 


1. Daniel Kaluuya (Judas and the Black Messiah)

Interpretando Fred Hampton, Kaluuya é o grande nome do momento para essa categoria. O ator se destacou em 2017 ao protagonizar o longa Corra! dirigido por Jordan Peele.

2. Leslie Odom Jr. (One Night in Miami)

Outro grande destaque para essa categoria é Leslie que interpreta Sam Cooke no longa dirigido por Regina King. O ator ficou mais conhecido pelo seu papel em Hamilton que lhe garantiu um Tony e um Grammy. 

3. Paul Raci (Sound of Metal)

O ator nunca foi nomeado, mas certamente sua performance para essa temporada vale muito a indicação. Paul interpreta um surdo que é líder da comunidade onde o Ruben (Riz Ahmed) vai se instalar quando começa a perder a audição. 

4. Glynn Turman (Ma Rainey's Black Bottom)

O papel de Glynn facilmente se misturaria entre os demais integrantes da banda, mas Toledo consegue se destacar mais a cada cena que aparece. Ele nunca foi nomeado, mas seria uma grande oportunidade para a Academia reconhecê-lo. 

5. Sacha Baron Cohen (The Trial of Chicago 7)

Conhecido pelo seu papel como Borat, Sacha se transforma em um ativista sarcástico para essa temporada. Com um equilíbrio entre a energia caótica e o alívio cômico, Sacha consegue brilhar e se torna a principal aposta de seu estúdio nessa categoria. 

Outros possíveis candidatos: Chadwick Boseman (Da 5 Bloods), Stanley Tucci (Supernova), Bill Murray (On the Rocks), Yahya Abdul Mateen (The Trial of the Chicago 7) e Eddie Redmayne (The Trial of the Chicago 7).


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE


1. Amanda Seyfried (Mank)

A nossa querida Sophie de "Mamma Mia" não está somente no caminho de sua primeira indicação ao Oscar como também é uma das mais fortes candidatas na sua categoria. Com o papel de Marion Davies em Mank, Amanda consegue nos trazer uma interpretação bem diferente e bem mais potente do que havia entregado até então em sua carreira. 

2. Glenn Close (Hillbilly Elegy) 

O filme em si pode não ter recebido o apoio da crítica, mas a performance de Glenn garantiu as estrelas dadas por quem avaliou. A atriz acumula um histórico com 7 nomeações e nenhuma vitória, podendo ser uma grande aposta para esse ano. 

3. Ellen Burstyn (Pieces of a Woman)

Com 6 nomeações e 1 vitória pelo filme de 1974 chamado "Alice Doesn't Live Here Anymore", Ellen Burstyn é uma forte candidata. Os pontos mais apontados pela críticas em Pieces of Woman são sobre as grandes atuações do longa, sendo Ellen uma grande contribuinte para essa questão.

4. Maria Bakalova (Borat Subsequent Moviefilm) 

Na continuação da sátira sobre os Estados Unidos, a atriz búlgara consegue se destacar muito. Normalmente a premiação tem costume de reconhecer apenas papéis em filmes de drama, mas Bakalova pode ser a representação da comédia nessa temporada.

5. Olivia Colman (The Father)

 A atriz britânica foi indicada apenas uma vez por seu papel em "A Favorita" (2018), mas isso já foi o suficiente para que ela levasse o Oscar para casa. Dessa vez, em um papel ainda mais intimista, Colman é uma forte candidata a repetir o feito de 2018. 

Outras candidatas possíveis: Saoirse Ronan (Ammonite), Yuh-jung Youn (Minari), Jodie Foster (The Mauritanian), Nicole Kidman (The Prom) e Helena Zengel (News of the World).


E aí, quais são suas apostas?

Postar um comentário

0 Comentários

https://api.clevernt.com/0837e6a6-db3b-11eb-a592-cabfa2a5a2de/