Fatos e Curiosidades: K-pop

 


Olá, pessoal! Chegamos a mais um episódio do nosso “Fatos e Curiosidades”, dessa vez falando de algo que todo mundo já ouviu falar, mas creio que não conhecem tão a fundo: K-pop.

Então, se preparem que vão conhecer sobre toda a trajetória desse gênero musical – não deixa de ser – que tem roubado muito espaço em nossas playlists.


Como surgiu

O K-pop, mais conhecido como música popular coreana (e que abrange os diversos gêneros musicais ocidentais), da maneira que conhecemos hoje, surgiu lá nos anos 90 na Coreia do Sul, porém nas décadas anteriores o país recebeu muitas influências externas e ocidentais. Algumas músicas foram feitas nos anos anteriores, mas como a indústria que conhecemos – muito influenciada pelo ocidente - foi apenas na década de 90.

Seguindo os moldes da Cultura Idol japonesa – que falarei mais a frente – e mudando os moldes totalmente, o mercado começou a engatinhar.

Em 1992 o grupo Seo Taiji and Boys apresentou a música I Know durante o show de talentos no canal coreano NBC e tiveram a classificação mais baixa vinda do júri. Porém, contrariando a crítica, a música e o álbum de mesmo nome foram um sucesso, abrindo caminho para a produção de mais músicas seguindo o estilo. I know se destacou pelas batidas de new jack swing e o refrão marcante, também com uma letra inovadora que falou sobre os problemas da sociedade coreana.

Tudo isso abriu caminho para outros artistas da época e o surgimento das primeiras empresas de entretenimento, como a SM Entertainment, YG Entertainment e a JYP Entertainment.

 


Como essa indústria funciona

A indústria do K-pop funciona de uma maneira até um pouco peculiar. Como dito anteriormente, foi um pouco inspirado na cultura idol japonesa, em que pessoas são tratadas como ídolos e tudo mais. (Se quiserem posso fazer uma postagem sobre a cultura idol japonesa.)

No Japão, os idols vão conquistando suas carreiras aos poucos e pelos próprios méritos, é uma coisa meio independente.

Já na Coreia, há uma empresa por trás que agencia os idols, cuidando de suas carreiras musicais e outras atividades, seja como grupo ou como artista solo.

E antes de um artista ser lançado ao mercado - damos ao lançamento o nome de Debut - ele faz uma audição/teste para entrar nas empresas como trainee e passam, em alguns casos, anos e mais anos treinando dança, canto, atuação, todas as habilidades que eles vão precisar para serem lançados. Quase como um ideal de perfeição, quem acompanha K-pop sabe bem como é!

Alguns começam a treinar bem jovens com 10, 12 anos e ficam anos se preparando para isso, uma esperança de ser idol e fazer sucesso.


As gerações do K-pop

O K-pop é dividido em gerações, que mudam mais ou menos a cada década, mas o que as define também é como a própria indústria vai mudando. Atualmente, estamos na 4º geração – tem gente que acredita que ainda estamos na terceira – e falarei um pouco sobre cada uma delas.

1º geração (1992-2000): Era uma época de experimentação musical, usando influências ocidentais. Depois do Seo Taiji and Boys e a criação das primeiras empresas. Os primeiros grupos idols foram surgindo para atender a demanda do público adolescente, mas apenas dentro do país. Alguns nomes de destaque da época são: HOT, SES, Sechskies, Fin KL, Baby VOX, Deux, Shinhwa, Boa, G.O.D, Turbo, Fly to The Sky.

2º geração (2000-2011): Foi mais um período de transição, dessa vez com a expansão para o mercado asiático, principalmente para o Japão e a China. A cantora solista BoA fez um grande sucesso no Japão e cantando algumas músicas de anime também. Foi nesta época que muitos ocidentais conheceram o K-pop, depois do viral que ocorreu com a música Gee do Girls Generation. Outros destaques da época são: KARA, Wonder Girls, BEG, Super Junior, TVXQ, SHINee, BigBang, Rain, 2PM, T-ARA, 2NE1, F(X), After School.


3º geração (2012-2019): Após o sucesso viral de Gagnam Style de Psy, o k-pop começou a ser conhecido e compartilhado nas redes sociais, expandindo assim para o resto do mundo. Muitos grupos conhecidos atualmente fazem parte desta geração. Os destaques são: BTS, EXO, TWICE, BLACKPINK, Red Velvet, GFriend, Seventeen, Got7, Block B, Vixx, Mamamoo, APINK.

4º geração (2019-atualmente): Ainda não se sabe como será esta geração, mas a influência ocidental e a expansão da cultura será ainda maior, continuando o legado e a quebra de barreiras da terceira. Aqui só o futuro vai dizer! Mas alguns grupos que podemos ficar de olho são: NCT, StrayKids, The Boyz, (G)Idle, Iz*one, Loona, TXT, ITZY, EVERGLOW.

 


Hallyu e a New Hallyu

“Hallyu” nada mais é do que “Onda Coreana”, que é justamente toda a expansão da cultura sul-coreana – não só as músicas, mas também os doramas, a moda - tanto pela Ásia quanto pelo resto do mundo.

A primeira Hallyu aconteceu no início dos anos 2000, com a expansão para outros países da Ásia, especialmente o Japão e em alguns lugares do ocidente. Para quem não sabe, o mercado japonês é um dos maiores da Ásia e até do mundo.

Já a “New Hallyu” começou em 2012, depois do acontecimento do Gangnam Style viralizar no Youtube, a música coreana começou a sua expansão nas redes sociais e no ocidente. E não só da música, mas toda a cultura entrou em evidência, com a popularização dos doramas, da moda e até dos filmes, o que consequentemente levou a vitória de Parasyte no Oscar, com o BTS na Billboard Hot 100 e o BLACKPINK produzindo uma música com a Selena Gomez.

 



A Big3, quase Big4

Existem muitas empresas de entretenimento na Coreia do Sul, de todos os portes. Pequenas, Médias e Grandes. As três maiores empresas são a S.M. Entertainment - fundada por Lee Sooman em 1995; YG Entertainment - fundada por Yang Hyun-suk, ex-membro do Seo Taiji and Boys, em 1996 e a JYP Entertainment - fundada pelo cantor Park Jin-young, em 1997.

E atualmente, com a ascensão do BTS, a empresa deles, a BIG HIT Entertainment, se tornou a quarta maior empresa.

A terminologia Big 3 é justamente para chamar essas empresas mais famosas e muitos aspirantes a trainees e idols sonham em conseguir entrar nessas empresas, justamente porque o sucesso é quase garantido quando se estreia em um grupo delas.

E a BIG HIT alcançou agora esse mesmo patamar como empresa almejada pelos trainees.

 

Uma indústria problemática

Quem não tem tanta familiaridade com a indústria k-pop acha que são apenas músicas divertidas, dançantes e os clipes bem coloridos. Porém, quem conhece mais a fundo sabe todos os problemas que acontecem. A própria comunidade é bastante tóxica! (Dá um monólogo só falando disso.) Os idols são cobrados a um patamar de perfeição, como se fossem máquinas de dançar e cantar. Sem contar os contratos, em alguns casos abusivos, e que incluem cláusulas como a de “proibição de namoro”. Tanto que escândalos de namoro acabam sendo grandes notícias.

Assim como toda indústria claro que ela tem seus problemas, porém alguns acabam chamando atenção e assustando os fãs – especialmente os internacionais. Ao se lidar com a imagem, muitas outras coisas vêm junto.

Muitos idols sofrem com depressão, bullying – como o caso da Know Mina do AOA (ex-membro) - e infelizmente, há casos que chegam ao suicídio, como a da Sulli do F(x) e do Kim Jong-hyun do Shinee.

Atualmente, essa situação está mudando e melhorando. Idols agora conseguem falar abertamente sobre seus problemas e seus relacionamentos e a maioria dos fãs entendem e mostram apoio. Porém, isso acontece a passos bem pequenos.

Não há problema em gostar de K-pop, só devemos entender todas as problemáticas que o envolvem. Isso é ser maduro com o que gostamos! E outra coisa, não ser tóxico!




 

Glossário de Grupos (Posições)

Tudo no K-pop tem seu nome, como as posições de um membro num grupo. As principais são essas:

  • Center: Integrante de grupo de K-pop que fica no centro de todas os clipes/apresentações; o ''principal'';
  • Face: Integrante de grupo de K-pop encarregado de ter o melhor desempenho em programas de variedades ou entrevistas/integrante mais carismático;
  • Visual: O integrante considerado o mais bonito do grupo, que fica encarregado de estrelar as propagandas;
  • Main vocal: Vocalista principal;
  • Lead vocal: vocalista de apoio;
  • Lead rapper: rapper de apoio;
  • Rapper: Toda música de k-pop tem, além dos trechos cantados, pelo menos uma parte em rap;
  • Maknae: Nome dado para o integrante mais novo de um grupo (não necessariamente de K-pop)/ caçula;
  • Trainee: artista em treinamento para se tornar um idol;
  • Rookie: nome dado ao artista ou grupo calouro.


Glossário de Termos

Alguns termos podem ser confusos para quem não conhece, então aqui estão listadas algumas das mais usadas, ainda mais para definir ou não o sucesso de um grupo:

  • All-kill: é quando um artista “mata” tudo de uma vez, ou seja: quando grupos conseguem uma música na primeira posição de todos os charts online da Coreia ao mesmo tempo;
  • Bias: o seu membro preferido de um grupo, o seu “queridinho”;
  • Comeback: quando um artista ou grupo volta do hiatus (pausa), ou de um tempo um pouco maior sem anunciar novos singles. O comeback pode ser com um single, um music video ou um álbum novo;
  • Daebak: significa “grande sucesso”! É usado para desejar sorte e sucesso a um artista;
  • Dance Practice: são vídeos em que os artistas mostram sua habilidade na dança, enquanto treinam a coreografia de Music Videos ou performances;
  • Debut: a estreia de um grupo, ou seja, quando ele é lançado no mundo comercial. Geralmente as agências anunciam os membros aos poucos, até que haja um lançamento oficial de música, Music Video ou tudo junto;
  • Disband: quando um grupo sofre um disband, significa que se separou por algum motivo. É geralmente o fim de um grupo;
  • Fancam: as fancams são vídeos gravados pelos próprios fãs em shows, eventos, etc. Quando um grupo se apresenta em uma premiação, por exemplo, costuma ser mais rápido encontrar fancams das apresentações do que esperar pelos vídeos oficiais das emissoras;
  • Fanmeeting: eventos em que os ídolos encontram fãs, dão autógrafos, tiram fotos, etc. Tipo um meet and greet mesmo! Quando são eventos exclusivos para autógrafos, são chamados fansigning;
  • Gayo: pop coreano! O nome k-pop vem do movimento de exportação do gênero, mas na própria Coreia, o pop já era chamado de gayo;
  • Hiatus: pausa de um artista, geralmente anunciada via agência. É uma expressão utilizada também para grupos ocidentais e até mesmo para pausas de séries televisivas;
  • MV: o MV nada mais é do que um music vídeo, ou seja, um clipe!;
  • Netizen: a palavra é uma junção de Internet com citizen (cidadão), e faz referência aos “habitantes” da internet! Os netizens são as pessoas que geralmente fazem comentários e interagem com as publicações online;
  • Pré-debut: artistas que são trainees, que ainda não tiveram sua estreia oficial no mundo artístico.
  • Sasaeng: fãs extremistas, muito stalkers, obcecados. São geralmente aqueles que perseguem os artistas e dão trabalho para seus seguranças;
  • Showcase: amostra de grupos sobre projetos futuros, geralmente álbuns. É um show que os artistas apresentam algumas das músicas que estarão no próximo trabalho;
  • Ultimate/Ultimate Bias: seu maior bias de todos, ou seja, seu membro favorito entre todos os grupos.


Bem, pessoal, é isto! Gostaram de conhecer mais um pouco sobre o K-pop?

Sei que o assunto engloba muito mais e acabou faltando coisa para falar. Então, se eu não citei o seu grupo favorito, por favor não briguem, aproveitem para indicar nos comentários.

Eu vou indicar um grupo bem diferente e que é meu ultimate: DREAMCATCHER. Qual é o seu grupo favorito? Comentem aí!

 

Fontes: Letras.mus.br / Extra / K-pop | Wikipédia / Animo / Reverb / Midiorama / Amino (2) / Medium / Onda Coreana | Wikipédia

Postar um comentário

0 Comentários