Morre Joe Ruby, o Co-criador de "Scooby Doo", aos 87 anos


Uma triste notícia para os fãs de desenhos: Joe Ruby, co-criador de Scooby Doo, faleceu em Westlake Village, na Califórnia. Joe deixa a esposa, quatro filhos e dez netos. “Ele nunca parou de escrever e criar, mesmo com a idade”, disse Benjamin Ruby, um dos netos à Variety..

Lançado em 1969 pela CBS, "Scooby Doo" contou com a ajuda do designer Iwao Takamoto e foi idealizado junto a Ken Spears. O grupo de personagens já foi pensado para ser uma banda de rock e passou por várias mudanças, até finalmente ter os personagens clássicos que conhecemos. Foi ao ar até 1976 e trouxe vários reboots.

Além de Scooby Doo, Ruby também participou de outras criações, tais como Alvin and the Chipmunks, Thundar the Barbarian, The Barkleys, Mister T, The Houndcats, Superman, Fangface, The Plastic Man Comedy-Adventure Hour 

Freddie, Velma, Daphne, Salsicha e Scooby-Doo marcaram a infância de várias gerações, e deixamos abaixo comentários de alguns membros da nossa equipe sobre o que esse desenho significou para eles.

Bruno: Scooby Doo foi um dos desenhos mais geniais que eu já assisti, pois conseguia passar casos que, em teoria, seriam muito pesados de um jeito que as crianças pudessem ver, entender e gostar. Ele passava valores como amizade, coragem e integridade, além de sempre incentivar a luta pelo bem e a ajudar o próximo. Além disso, eles ainda nos ensinavam a sermos mais espertos e observadores, pois aprendemos a solucionar mistérios junto com a turma. Cada personagem tinha sua personalidade, suas características e seus atributos, mostrando que independente de tudo, todos nos completamos e somos importantes. Só elogios pra Scooby Doo.
Didan: Scooby-Doo me ensinou que no final, os verdadeiros monstros sempre são as pessoas
 Kamila: Eu adorava o desenho, mexia com a imaginação e a realidade. A princípio, dava medo e me fazia imaginar as diversas possibilidades do que/quem estava por trás do que estava acontecendo. Depois, o desenho instigava o nosso senso de investigação, fazendo com que nós prestássemos mais atenção nos detalhes; e por fim, apresentava uma lógica e um motivo racional para tudo o que ocorria no episódio.
Samuel: Eu assistia Scooby doo na mesma época em que a turminha da rua ficava na paranoia de achar que tudo tinha ligação com fantasmas e coisas sobrenaturais. Tanto o desenho quanto os filmes representaram a nossa realidade no momento. A mente viaja, mas no fim os fantasmas e mistérios não passavam de fruto da nossa imaginação. 
 Lyrian: É impossível não cantar a música de abertura. Tanto o desenho em si quanto os filmes são maravilhosos. Sempre tentava adivinhar quem era o monstro junto com eles, mas nunca conseguia antes do final. Depois entendi uma mensagem que acredito que eles queiram passar, de 'os verdadeiros monstros são as pessoas'.
 Sandrini: O filme me marcou muito quando eu era criança, não conseguia não assistir, sempre que passava na tv eu via e se até hoje passar na tv, eu vou assistir com os mesmos olhos. É um filme e um desenho que nos leva a ser crianças novamente, traz a nossa infância de volta.

Nossa equipe agradece a Joe Ruby por sua obra e seu legado, e desejamos à família e amigos nossas condolências.
 scooby doo | Portal Factótum Cultural

Postar um comentário

0 Comentários