Valhalla! O entretenimento saúda a popularidade dos Vikings - Revista Jovem Geek

GeekNews

Revista Jovem Geek

O lado NERD da força.

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Valhalla! O entretenimento saúda a popularidade dos Vikings

Em 30/04 a desenvolvedora francesa de jogos eletrônicos Ubisoft lançou o primeiro trailer de seu novo game, a ser lançado no fim de 2020. Assassin's Creed Valhalla é mais um game da franquia de sucesso "Assassin's Creed", que ficou famosa por trilhar vários momentos da história da humanidade, principalmente ocidental. Valhalla vai acompanhar a jornada de um assassino viking, que lidera um exercito de invasores que aterrorizam a Inglaterra da alta idade média.


É curioso notar como as narrativas envolvendo histórias escandinavas tomaram grande espaço na indústria do entretenimento. Dos anos 2010 para cá, o volume de produções que giram em torno do dia-a-dia dos vikings ou de sua vasta mitologia têm crescido cada vez mais. O universo cinematográfico da Marvel raspou um pouco das histórias nórdicas com seu Thor estilizado, baseado na criação de Stan Lee para os quadrinhos; contudo, talvez o maior responsável por essa onda viking do entretenimento seja a série Vikings, criada pelo History Channel e lançada em março de 2013.


A série começou como uma tímida produção e seguiu uma receita narrativa em que foram incorporados fatos históricos das incursões nórdicas pelo mundo (principalmente na Inglaterra), bem como elementos lendários, sendo Ragnar Lothbrok o maior deles, já que o rei viking é uma espécie de Rei Arthur da Escandinávia. 

Esses fatores concretos e conhecidos foram diluídos narrativamente no tempo de vida de uma geração humana, assim tivemos fatos históricos com grandes intervalos de tempo e com personagens reais diferentes sendo reconfigurados para atender às necessidades de um roteiro comprimido. A produção chefiada por Michael Hirst optou por essa abordagem para que a série não adquirisse um caráter documental; desse modo, com personagens recorrentes, foi natural o ganho de dramaticidade e atenção do público.

O sucesso da série, que está em sua última temporada em 2020, abriu os olhos da indústria do entretenimento para o mundo nórdico. Em 2015 foi a vez da BBC lançar sua produção de caráter viking. The Last Kingdom é uma produção que adapta os livros da saga literária "Crônicas Saxônicas", escrita pelo historiador inglês Bernard Cornwell.


A história gira em torno de um garoto saxão chamado Uhtred, de Bebbanburg (norte da Inglaterra), que é sequestrado e criado por invasores vikings, adquirindo assim a cultura nórdica. Como é de costume das narrativas de Bernard Cornwell, a história de Uhtred é fictícia mas todo o contexto em torno do saxão é real, sendo o famoso rei Alfredo um dos principais personagens do enredo, por exemplo. Após o sucesso das duas primeiras temporadas, a produção passou a ser da Netflix e está atualmente na quarta temporada.

Na história real, os escandinavos medievais resolveram, à partir do fim do século VIII, navegar em direção ao oeste em busca de saquear e colonizar terras mais férteis que suas terras natais, da mesma forma que já faziam quando exploravam terras do leste, em torno do mar báltico e além. As buscas dos vikings originaram um histórico de muitas guerras na Inglaterra, França, norte da África e até mesmo América. Mas foi no domínio britânico que sua influência cultural teve mais peso, modificando até mesmo muitos aspectos da língua inglesa hoje falada no mundo todo.

Nunca houve tanto destaque no entretenimento para os vikings como estamos presenciando hoje em dia. A gama de opções está cada vez maior, desde livros e séries, até games e animações, como a franquia "Como Treinar Seu Dragão".

E se você gostou desse conteúdo, vai encontrar muito mais se cadastrando para ter acesso à nossa revista digital gratuita, clicando aqui. Até mais!


Nenhum comentário:

Postar um comentário