Crítica: Deslize - Revista Jovem Geek

GeekNews

Revista Jovem Geek

O lado NERD da força.

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Crítica: Deslize


Nunca imaginei que o queridinho da galera, Noah Centineo, pudesse participar de um filme ruim, mas, infelizmente, isso aconteceu. Deslize é exatamente o que seu nome significa, no sentido de ser um equívoco, nem mesmo a ideia do filme é boa, e como ela é desenvolvida só decepciona ainda mais. 

Pois é, dessa vez nossa queridinha Netflix errou feio, na verdade, acho que o mais correto é dizer que a diretora e roteirista do filme, Ann Deborah Fishman, errou feio. Deslize conta a história de James, um jovem prodígio que se compromete a criar um “aplicativo de pegação” que foi ideia de seu colega de quarto Lance. Essa premissa prometia repudiar comportamentos machistas, mas não foi bem isso que aconteceu. 

O longa, que deveria ser uma afronta ao machismo, na verdade é bem machista, ao estereotipar mulheres como sendo oblíquas, carentes e totalmente emocionais, e também ao normalizar alguns comportamentos errados dos meninos. No fim das contas, o filme passa a ideia de que as mulheres fariam de tudo para estarem acompanhadas, algo como “antes mal acompanhada, do que só”. 

Todos os personagens são falhos, sem profundidade nenhuma, as únicas complexidades dos personagens que são desenvolvidas durante o longa, são totalmente esquecidas no final desse, causando uma grande incoerência na história. Sem contar que as atuações não ajudaram em nada nesse sentido, incluindo a atuação do nosso garoto Noah. 

A forma como a história se desenrola também é falha, não é coerente e muito menos chamativa, sem citar todos os erros que tem nela. Afinal, não faz muito sentido um filme que deveria tratar de machismo, mostrar como as mulheres tem que se conformar com seu “papel na sociedade”. Se isso fosse bem desenvolvido e as personagens femininas do filme mudassem de ideia quanto a isso, depois de tudo o que tinham vivido, teria sido uma boa premissa, mas não foi. 

Enfim, o filme realmente é decepcionante, tanto por seu enredo cheio de estereótipos, quanto pelas atuações falhas. A ideia não é chamativa e não evolui bem, sinceramente, o longa é chato, repleto de furos e sem um tema realmente definido, já que o que era pra ser seguido, não foi. Infelizmente, não poderei indicar esse filme para vocês. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário