Dc FanDome - América Latina e DC


O limite do papel de espectador já foi superado há muito tempo, os latino-americanos estão cada vez mais integrados ao Universo DC, seja através da equipe de produção, como atores, diretores, dubladores, entre outros, seja por contribuições de caráter visual como ilustradores e cosplayers que ganham atenção pela Internet. Em meio essa demanda, esse longo painel da DC FanDome procura trazer um panorama passando por diversas áreas protagonizadas por latinos.

Haverá exposição de ilustradores, dicas sobre como se tornar um bom cosplayer, conversa sobre dublagens e até mesmo debate com superfãs da Argentina e do México. Nós, da Revista Jovem Geek iremos trazer em detalhes dois momentos: as entrevistas com o diretor argentino Andy Muschietti (The Flash) e com o ator chileno Pedro Pascal (Wonder Woman 1984). Confira abaixo:

Fãs argentinos entrevistam Andy Musschietti diretor de "The Flash"


Começando a entrevista foi perguntado sobre seu personagem favorito e sua experiência com os quadrinhos, o diretor respondeu "Atualmente meu personagem favorito da DC é o Flash, mas eu cresci lendo os quadrinhos do Superman e do Batman. Durante os anos 80, os quadrinhos não chegavam em ordem, então eu comprava o que eu podia e me divertia muito com esses momentos. E muitas vezes as história do Flash vinham nos quadrinhos do Batman e foi assim que eu comecei a gostar do personagem."

Quando questionado se era uma realização estar na direção de um filme da DC, Andy falou "Para mim o filme representa um desafio em vários aspectos. É um desafio profissional poder contar a história de um dos mais importantes personagens do Universo da DC, e por outro lado, pessoalmente, é uma chance de me reconectar com os sentimentos que estiveram presentes em minha infância". Ele ainda completou comentando que o mais importante para ele em The Flash é a complexidade do trauma vivido por Barry Allen que é explorado dentro de uma aventura épica envolvendo viagem do tempo.

Andy também comentou sobre sua visão do Flash como um super-herói genuíno e humano, brincando que a principal característica que divide com ele é estar sempre atrasado. O diretor reforça que quer que a história do filme seja mais séria e aborde a vivência e os poderes de Barry de uma forma que fuja daquele estereótipo de alívio cômico sempre explorado. Além disso, ele falou que pretende expressar de uma maneira diferente as extensões do poder do herói, fugindo da tradicional maneira de mostrar a velocidade extrema.

O argentino reforçou que a possibilidade de usar viagem no tempo e a proximidade com o arco do Flash são os principais motivos para o Flashpoint ser a história mais popular do super-herói, por essa razão são pontos especiais para o seu trabalho. Andy finalizou compartilhando junto com os entrevistadores os vilões e os momentos da DC que realmente o marcaram.


Chilevisión entrevista Pedro Pascal que interpreta o vilão Maxwell Lord em "Mulher-Maravilha 1984"

A entrevista começou com Pedro Pascal falando da importância do Chile para sua vida, local em que nunca deixou de fazer parte da sua vida e onde a maior parte da família mora. Ele também mencionou seu avô de 96 anos, Luis Pascal, que sempre foi uma pessoa que apoiou seus sonhos e o influenciou a seguir a carreira que mais chamava atenção de seu coração.

Sobre a ligação que foi criada entre o elenco, Pedro falou "As vezes nesse trabalho você pode sentir uma grande química com a experiência que você está vivendo. Foi desse jeito que aconteceu ao trabalhar com Gal, Chris, Kristen, Patty e com todo resto do elenco. Nos tornamos uma família desde a primeira vez que nos conhecemos. Eu e Kristen, os vilões, fomos recebidos de braços abertos para essa produção". O ator também relembrou da chamada em grupo especial orquestrada por Patty com o elenco para comemorar seu aniversário remotamente.

Sobre o seu personagem, Maxwell Lord, Pedro disse " Eu acredito que Maxwell Lord nesse filme representa esse personagem que te vende sonhos. Ele quer ganhar, sem limites dinheiro e poder. E nessa época que se passa o filme eu acredito que o valor da pessoa estava muito atrelada ao seu sucesso e em mostrá-lo de um modo muito específico. E em termos de uma sociedade doente, é nele que eu penso."

O ator finalizou a entrevista falando que os vilões da DC são os personagens que mais lhe atraem nesse universo e reforçou a força e o empenho de Patty no set para poder trazer a tona toda grandiosidade do novo filme da Mulher-Maravilha.

Postar um comentário

0 Comentários