Especial: Paulo Leminski, um artista múltiplo


Paulo Leminski nasceu em Curitiba no dia 24 de agosto de 1944 e faleceu em 07 de julho de 1989. Foi poeta, prosador, biógrafo, crítico, tradutor, judoca, professor, redator publicitário, violonista autodidata, compositor, letrista e intérprete das próprias canções, grafiteiro e palestrante em cursos de poesia. Suas obras já foram traduzidas ao inglês, francês, polonês, alemão, italiano, húngaro e espanhol, sendo publicadas em sete países (Brasil, Hungria, México, Estados Unidos, Cuba, Espanha e Polônia).

Casou-se com Alice Ruiz em 1968 com quem teve três filhos, Miguel (falecido aos dez anos, em 1979), Áurea e Estrela. Estrela assinala a disciplina do pai, que escrevia rigorosamente todos os dias: “nem que fosse um poema curto, nem que fosse uma só frase, uma ideia”. Ela conta também que:

“A biblioteca era a parte mais importante da casa. Em todos os lugares que a gente ia morar [e a família se mudou algumas vezes, até 1987, quando Paulo e Alice se separaram], tinha que ter essa biblioteca. Mesmo que eu e minha irmã Áurea tivéssemos que usar o mesmo quarto, sendo a Áurea já uma adolescente, isso não seria problema, para que um espaço da casa fosse a biblioteca – e, consequentemente, o escritório. Com pai e mãe escritores, os dois precisavam desse espaço, com todo o trabalho deles organizado.”

Poesia

Desde pequeno, Leminski praticou em verso a disciplina e a liberdade e dessa forma definiu a poesia: “a liberdade da minha linguagem”.

Percorreu a poesia brasileira de Anchieta aos modernistas, e conviveu com os expoentes do Concretismo. Sua estreia como poeta é uma espécie de antilivro: Quarenta clics em Curitiba, em parceria com o fotógrafo Jack Pires, não é uma edição encadernada, mas uma caixa com 40 pranchas de papel cartão, cada qual com um poema e uma fotografia. Essa foi uma das diversas parcerias que faria com outras artes e artistas.

o paulo leminski
é um cachorro louco
que deve ser morto
a pau a pedra
a fogo a pique
senão é bem capaz
o filha da puta
de fazer chover
em nosso piquenique


Música

Paulo Leminski começou seus estudos musicais com canto gregoriano, aos treze anos, no Mosteiro de São Bento. Na década de 70, passou a tocar violão e montou um grupo com o irmão Pedro Leminski, com quem compôs a “Oração de um suicida”. A ascensão nacional como compositor começou em 1981, quando Caetano Veloso lançou “Verdura” (letra e música de Leminski) no disco Outras Palavras. Com o baiano Moraes Moreira, compôs doze canções, dentre estas “Promessas demais”, lançada por Ney Matogrosso em 1982, e tema de abertura da telenovela Paraíso.

Muitos de seus poemas também viraram canções, em seu livro caprichos & relaxos o poeta já propõe: “Aqui, poemas para lerem, em silêncio, o olho, o coração e a inteligência. Poemas para dizer, em voz alta. E poemas, letras, lyrics, para cantar. Quais, quais, é com você, parceiro.”

O poema “Dor Elegante”, publicado postumamente em 1991, musicado por Itamar e gravado por Zélia Duncan, foi tema da telenovela Belíssima em 2005-2006. Assim, mesmo após sua morte, Leminski seguiu sua carreira de compositor através dos diversos artistas que gravaram suas canções e musicaram poemas, tais como José Miguel Wisnik, Carlos Careqa, Edvaldo Santana, Zizi Possi, Vânia Abreu, Anna Toledo, Vítor Ramil, Zélia Duncan, Zeca Baleiro, João Lopes e Neuzza Pinheiro.



Prosa

Seus romances mais conhecidos são Catatau, Agora é que são elas e Metaformose. Sendo lançado postumamente, Metaformose recebeu em 1995 o prêmio Jabuti de poesia. Assim, curiosamente, a prosa de Leminski foi lida e premiada como poesia.

Já o Catatau era originalmente um conto: Descartes com lentes. Com o tempo o conto foi sendo encorpado pelo autor com mais de 200 páginas. O romance é uma ficção sem trama linear ou diálogos convencionais. A forma é de monólogo interior da personagem central: Renatus Cartesius, o filósofo Renê Descartes, no Brasil, com a expedição holandesa de Maurício de Nassau. Alguns o consideram impossível de ler, porém o livro permite diversas abordagens de leitura.

O Catatau é um dos textos mais estudados de Paulo Leminski nas universidades brasileiras, já tendo sido objeto específico de dissertações de mestrado e teses de doutorado.



Biografia

Como biógrafo, Leminski escreveu quatro biografias que posteriormente foram reunidas na edição VIDA, publicada em 1990, e reeditada em 1998 e 2013. São elas:

Cruz e Sousa: o negro branco – sobre o poeta brasileiro João da Cruz e Souza.

Matsuó Bashô: a lágrima do peixe – sobre o poeta japonês Matsuó Bashô (literalmente o “Senhor Bananeira”, pseudônimo de Matsuo Kinsaku).

Jesus A.C. – sobre Jesus Cristo.

Leon Trótski: a paixão segundo a revolução – sobre o revolucionário Leon Trótski.


Quadrinhos eróticos

A produção criativa de Paulo Leminski menos conhecida é a de roteirista de HQ's. Dentre suas revistas em quadrinhos, impressas em preto e branco, uma das mais vendidas é Afrodite, de seu tema preferido: o do erotismo. Como diria o próprio Paulo Leminski: “Quem não gosta de sacanagem?”


Tradução

Além do português brasileiro, Leminski escreveu poemas integralmente em inglês (sete), em latim (dois), em francês (dois) e em espanhol (um), além de outros misturando línguas – parcialmente em inglês, latim, francês, espanhol, italiano, alemão, japonês, e até mesmo um – PAPAJOYCE AT WORK – escrito e “pseudotraduzido” no idioma do “finneganês”, invento de James Joyce para seu Finnegans Wake, que mistura mais de setenta línguas, tendo o inglês como base.

Infantil

Além das poesias e prosas, Leminski também dedicou seu tempo ao universo infantil, o que deu origem ao livro Guerra dentro da gente e esse, por sua vez, foi adaptado ao filme infanto-juvenil Belowars, é um desenho animado de oitenta minutos de duração. O filme e o livro contam a história de um garoto que sai de casa, passa por várias aventuras e aprende lições importantes.

Outro trabalho de Leminski pra crianças são suas composições musicais ao especial de TV Pirlimpimpim 2, em parceria com Guilherme Arantes. A faixa principal é cantada por um extraterrestre, reclamando dos homens do planeta Terra, por eles invadirem o espaço sideral e fazerem xixi nas estrelas. A parceria com Guilherme Arantes foi toda criada por telefone, e todo o pagamento pelo trabalho foi gasto pelo poeta com a conta telefônica.


Em comemoração ao seu aniversário, mesmo já falecido, fizemos este especial para aquele que foi poeta, crítico literário, tradutor e professor. E que suas obras continuem eternizando suas contribuições e ideias.

Essa matéria foi feita com informações da exposição Múltiplo Leminski organizada por Alice Ruiz, Estrela Ruiz Leminski e Áurea Alice Leminski.

A exposição esteve em:
Museu Oscar Niemeyer 27.out.2012 a 09.jun.2013 – Curitiba PR
Ecomuseu de Itaipu 12.jul.2013 a 17.nov.2013 – Foz do Iguaçu PR
Centro Cultura Oscar Niemeyer 29.nov.2013 a 09.mar.2014 – Goiânia GO
Torre Malakoff 27.mar.2014 a 30.mai.2014 – Recife PE
CAIXA Cultural Salvador 08.out.2014 a 07.dez.2014 – Salvador BA
CAIXA Cultural São Paulo 07.mar.2015 a 03.mai.2015 – São Paulo SP
CAIXA Cultural Fortaleza 16.set.2015 a 08.nov.2015 – Fortaleza CE
CAIXA Cultural Rio de Janeiro 10.jan.2015 a 20.mar.2015 – Rio de Janeiro RJ
Torre Malakoff 09.jun.2017 a 24.set.2014 – Maringá PR
Museu Histórico de Londrina 15.mar.2019 a 30.jun.2019 – Londrina PR

Postar um comentário

0 Comentários